sexta-feira, 28 de agosto de 2009

EXCELÊNCIAS, ONDE VOCÊS ESTAVAM?



Hoje, na hora do almoço, fui impactada com cenas chocantes, na televisão. A população da cidade de Cururupu, no Maranhão, invadiu a cadeia municipal, na tentativa de linchar um preso. Não quero, porém, tecer considerações sobre o motivo que mobilizou os habitantes da cidade a agir com tal violência.
Quero saber se vocês, moradores do resto do país, atentaram para a situação daquela comunidade.
Eu, como maranhense, e conhecedora da miséria daquele povo, senti até o cheiro da pobreza, da miséria e da revolta do meu povo, que deveria ser o povo de todos nós brasileiros.
No entanto, o que é que nós temos visto?
Os senhores senadores que ficam discutindo a saída do senador Sarney da Presidência do Senado não conhecem aquela realidade, ou se a conhecem não se preocupam com ela. Apenas a utilizam no sentido de alicerçar seus planos de campanha.
O problema é do Maranhão? É o povo maranhense que não sabe se revoltar e aceita pacatamente o que lhe é oferecido pelos seus políticos, aí incluídos tanto os pertencentes ao poder legislativo quanto ao poder executivo?
Ou o problema é do Brasil?
O problema é o Senador Sarney ou é o nosso sistema político?
O problema é o outro ou somos nós que não nos posicionamos, não nos indignamos mais e só utilizamos as imagens do Maranhão ou quejandos como instrumento para a manutenção do "status quo" e sobretudo da nossa posição?
Enquanto o Senado discute, no conforto de suas salas arejadas, a permanência ou não do Senador Sarney, o maranhense sofre, mata e morre.
O cartão vermelho do Senador Suplicy apresentado para o Senador Sarney deveria ser ampliado e quiçá multiplicado para poder ser mostrado para grande parte dos nossos representantes políticos, para que os mesmos tomem alguma providência, antes que o povo resolva virar a mesa e mudar o jogo.

Um comentário:

Rosário Pinto disse...

meu medo, Ana! é o de que outros, antes do povo, revirem a mesa... aí estaremos em maus lençóis novamente... Que possamos, na realidade, ser melhores eleitores e, deixar, definitivamente, esses velhos caudilhos ou crias de caudilhos, continuem fazendo e acontecendo... É sermos capazes não dar nosso voto por um naco de pão ou uma dentatura..., mas infelizmente, até isto, diante de nossos investimentos em educação... fica difícil recursar. Portanto, leia o escrito em meu perfil do orkut e verá o que realmente penso... dessses nossos tempos...