quinta-feira, 12 de novembro de 2009

ESSE É O CARA


Estava em uma reunião para discutir a criação de uma ONG que cuidaria de crianças portadoras de necessidades especiais. Lia a minuta de um contrato que nos havia sido enviado por uma organização que tratava de marketing para o terceiro setor quando fui questionada por ele mais uma vez sobre determinada cláusula do contrato. Ele era um homem jovem, negro e muito bonito, tinha uma presença forte, que inspirava confiança, mas senti também certo orgulho que confundi com presunção. De repente, paro de ler e coloco a folha que estava lendo bem em frente ao seu rosto e digo: _ Você não está acreditando em mim, então leia você mesmo.
Um silêncio caiu sobre a sala com se fosse de chumbo. Todos os rostos se voltaram para mim e eu não entendi, até que alguém, acho que meu irmão, que estava presente, me disse: _ Ele não pode ler, porque é cego.
Senti-me totalmente constrangida e pedi desculpas que foram imediatamente aceitas pelo meu interlocutor. Houve uma risada de alívio por parte de todos e continuamos a ler e discutir o contrato.
Foi assim que conheci João Júlio. O cara que agora está dirigindo um filme.
Tiro o chapéu para ele. Ele é um exemplo para as pessoas que enxergam mas não vêem.
Parabéns João Júlio e que Deus continue a te abençoar com essa força.
Acesse o Link e veja a sinopse do filme, Uma vela para Deus e outra para Beto. Direção de João Júlio Antunes. O primeiro filme de um diretor cego.

Nenhum comentário: