sexta-feira, 31 de julho de 2009

Vaga de estágio no Projeto Bem-Me-Quer em Brasília

O Instituto dos Direitos da Criança e do Adolescente (INDICA) abre seleção para contratar um (a) estagiário (a) do curso de Comunicação Social para atuar no Projeto Bem-Me-Quer em Brasília - DF.

O Bem-Me-Quer busca contribuir para a diminuição dos preconceitos e das discriminações entre crianças e adolescentes brasileiros, promovendo uma educação de respeito e valorização à diversidade. Para atingir seu objetivo, o projeto realiza várias atividades nos eixos de cultura, educação e mídia, e trabalha com sete temas prioritários, dentro da questão da diversidade. São eles: raça/etnia, gênero, orientação sexual, deficiências, regionalismo, religião e classe social.

O (a) candidato (a) deve ter interesse na área de Direitos Humanos e, especialmente, no conteúdo desenvolvido pelo projeto.

Outros requisitos:

- Estar cursando Comunicação/ Jornalismo a partir do 5º semestre;

- Interesse no tema de Diversidade;

- Bom manejo no trabalho em equipe;

- Iniciativa para participar nas diversas ações do Projeto;

- Interesse em atuação na área de Web;

- Disponibilidade de 20 horas semanais;

É desejável:

- Experiência em atualização de blogs e criação de notícias;

- Interesse em áreas de assessoria de imprensa.

- Período de Estágio: 2º semestre de 2009.

- Bolsa: 350,00 +VT+férias proporcionais.

Enviar currículo até 06/08/09 para: aurelio@indica.org.br

O Projeto Bem-me-Quer possui um compromisso com a diversidade e encoraja a inscrição de mulheres, negros e índios em seus processos seletivos.

quarta-feira, 29 de julho de 2009

MEU BRASIL, BRASILEIRO, TERRA DE SAMBA E PANDEIRO

Essa é uma das músicas mais bonitas e representativas do Brasil, cantada por um coral estrangeiro. Preciso falar mais alguma coisa?

Aquarela do Brasil by Perpetuum Jazzile feat. BR6, performed live at Vokal Xtravaganzza 2008 (October 2008)



terça-feira, 28 de julho de 2009

LANÇAMENTO DA COLEÇÃO BEM-ME-QUER

O Instituto dos Direitos da Criança e do Adolescente (INDICA) convida para o lançamento da Coleção Bem-Me-Quer na cidade do Rio de Janeiro.
Diversidade e respeito são duas palavras que não existem separadas. Seus conceitos se permeiam e se completam de uma maneira especial. O respeito à diversidade e a diversidade com respeito existem como caminhos que levam à paz. Que bom seria se todos fossem respeitados por suas diferenças, por suas opções, por suas maneiras de viver a vida.
Esse é o ideal de Projeto Bem-Me-Quer e a Coleção de livros Bem-Me-Quer foi produzida com essa mesma proposta: sensibilizar crianças, adolescentes e jovens para as questões de preconceito e discriminação ainda presentes em nossa sociedade. São sete os temas tratados: classe social, deficiência, gênero, orientação sexual, raça/etnia, regionalismo e religião.
A coleção por si só é diversa. Nove autores, nove ilustradores das mais diversas regiões, inclusive estrangeiros, dão um tom especial às obras. São eles: Ana Raquel, Jonas Ribeiro, Flávia Lins e Silva, Eliana Carneiro, Gilles Eduar, Adriana Falcão, Anna Cláudia Ramos, Márcia Cristina Silva, Chico Salles, Raquel Echenique, Leícia Gotlibowski, Maurenilson Freire, José C. Lobo e Jô Oliveira. O projeto gráfico é do designer Alex Chacon. Com tanta gente, cada livro tem um tom, um traço, uma letra. Cordel, narrativas, poesia, aventuras, descobertas, conflitos, superação e compreensão são temas tratados para estimular os leitores a perceberem a riqueza de ser diferente.
O décimo item da Coleção é um presente maior para a imaginação. Trata-se de um audiolivro com todas as histórias contadas por profissionais e musicadas pelo violonista Jorge Brasil. Um toque de sensibilidade especial para as pessoas com deficiência visual, mas que pode ser ouvidos por todos sem distinção.

Bem-vindos ao Bem-Me-Quer!
Agop Kayayan, Coordenador-Geral
Clique em cima do convite para vê-lo maior

SEMANA DE EDUCAÇÃO PARA A VIDA

Muito interessante a Lei nº. 11.988, de 27 de julho de 2009, assinada pelo Presidente da República , e que cria a Semana de Educação para a Vida.
Nesta semana, que ocorrerá todo ano, os alunos da rede pública de ensino médio e fundamental terão a oportunidade de aquirir alguns conhecimentos não pertinentes ao currículum escolar mas necessários à sua vida, ou à vida de todos nós, como ecologia e meio ambiente, educação para o trânsito, sexualidade, prevenção contra doenças transmissíveis, direitos do consumidor, Estatuto da Criança e Adolescente, etc.
Isso me faz lembrar da matérias EMC - Educação Moral e Cívica e OSPB - Organização Social e Política do Brasil, que eram ministradas nas escolas.
O bom seria que o ensino não tivesse se distanciado tanto da realidade a ponto de precisarmos separar um semana por ano para nos educarmos ou a nossos filhos, para a vida. A escola não é vida?
Mas, se nos afastamos tanto, é válida e louvável a iniciativa dos idealizadores da lei. Apenas gostaria de lembrar que o termo 'et cetera', colocado na letra da lei pode dar lugar a muitas analogias e interpretações que nem sempre serão fiéis ao desejo do legislador ao escrevê-la.
Leia a lei aqui

Autorizado concurso público para 500 cargos no Banco Central

O Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) autorizou a realização de concurso público para o provimento de trezentos e cinquenta cargos de Analista do Banco Central e de cento e cinquenta cargos de Técnico do Banco. A portaria foi publicada no Diário Oficial da União de 28/7/2009. O prazo para publicação de edital de abertura do concurso é de seis meses, contado da data de publicação da portaria. O salário inicial para nível superior é R$12.413,25 e, para nível médio, R$ 4.896,25.

O provimento dos cargos dependerá de prévia autorização do Ministério do Planejamento, condicionada à declaração do respectivo ordenador de despesa sobre a adequação orçamentária e financeira da nova despesa com a Lei Orçamentária Anual, demonstrando a origem dos recursos a serem utilizados.
Leia a portaria aqui

sexta-feira, 24 de julho de 2009

CAMINHO DE CASA

Estou feliz por várias razões mas a maior delas é por verificar que sob essa sociedade que só pensa em números e em passar o semelhante para trás, existem pessoas que não se renderam e continuam íntegras, inteiras.
E eu encontrei hoje, na Internet, uma delas.
Trata-se do Dr. Áureo Augusto, de Vale do Capão - Chapada Diamantina - Bahia.
Fui sua cliente, no final dos anos 80, em Salvador, época em que ele era médico naturalista naquele local e tive o prazer de conhecer um médico que se preocupava com o cliente, não só com a doença ou os sintomas que este apresentava, mas com a sua vida e a sobretudo a sua saúde.
E,ao mesmo tempo, volto a pensar se nós humanos um dia chegaremos a ter a sabedoria que os animais não perderam.
Será que nós não percebemos que, o ser humano, na sua maioria, esqueceu o caminho de casa? Salomão já dizia, com toda a sua sabedoria, "vai ter com a formiga, oh preguiçoso"!




quarta-feira, 22 de julho de 2009

Vaga de Estágio no Projeto Bem-Me-Quer

O Instituto dos Direitos da Criança e do Adolescente (INDICA) abre seleção para contratar um (a) estagiário (a) dos cursos de Artes Cênicas ou Pedagogia para atuar no Projeto Bem-Me-Quer em Brasília - DF. O Bem-Me-Quer busca contribuir para a diminuição dos preconceitos e das discriminações entre crianças e adolescentes brasileiros, promovendo uma educação de respeito e valorização à diversidade. Para atingir seu objetivo, o projeto realiza várias atividades nos eixos de cultura, educação e mídia, e trabalha com sete temas prioritários, dentro da questão da diversidade. São eles: raça/etnia, gênero, orientação sexual, deficiências, regionalismo, religião e classe social.

O (a) candidato (a) deve ter experiência com crianças e gostar de atuar em ambiente escolar no ensino fundamental e médio, além de:

- Está cursando pedagogia ou artes cênicas a partir do 3º semestre;

- Possuir CNH;

- Interesse no tema de Diversidade;

- Bom manejo no trabalho em equipe;

- Iniciativa para participar nas diversas ações do Projeto;

- Conhecimento em métodos de aplicação e de instrumentos de pesquisa;

- Disponibilidade de 20 horas semanais | Período Matutino (incluindo alguns sábados);

- Período de Estágio: 1º semestre de 2009.

- Bolsa: 350,00 +VT+férias proporcionais+seguro de vida.

Enviar currículo até 01/08/09 para aurelio@indica.org.br

O Projeto Bem-me-Quer possui um compromisso com a diversidade e encoraja a inscrição de mulheres, negros e índios em seus processos seletivos.

...



Aurélio Araújo
Gerente de Educação e Mídia
Instituto dos Direitos da Criança e do Adolescente
(61) 9161-0642 / 3202-1354
www.projetobemmequer.org.br
twitter.com/MundoBemMeQuer

terça-feira, 21 de julho de 2009

OSCIP MARIA MARIA


Clique sobre a imagem para vê-la em tamanho maior.

SORRISO

A ONG Sorriso faz um um trabalho hiper bonito no mundo todo e ela estará no Brasil, no início de agosto, fazendo uma triagem para cirurgias gratuitas em crianças.



Clique na imagem para vê-la ampliada.

quarta-feira, 15 de julho de 2009

Brasileiro confia no real, nos Correios e em Deus

A pesquisa do IBOPE Inteligência para a revista "Seleções" também mediu o grau de confiança em instituições e personalidades. Os Correios mantêm a liderança entre as instituições (85%), seguido pelo real (76%). A confiança na moeda cresceu seis pontos percentuais em relação ao levantamento de 2008. Na lista dos executivos mais confiáveis, Alessandro Carlucci, presidente da Natura, ocupa a primeira posição (77%).

Na categoria "outros", acerca das personalidades mais confiáveis, Deus se mantém no topo da lista, com um índice de 98%, seguido por pai/mãe (96%). O grau de confiança dos entrevistados, no entanto, é maior no seu gato ou cachorro (69%) do que nos sogros (64%), nos colegas de trabalho (43%) ou nos vizinhos (32%).

O maior crescimento foi observado na TV, que viu o grau de confiança no seu serviço aumentar em oito pontos percentuais este ano, para 45%. Entre as mídias, no entanto, os jornais são os mais confiáveis (60%, com alta de cinco pontos sobre 2008). Um índice que fica acima, por exemplo, do grau de confiança depositado na Igreja (57%), nas multinacionais (53%) e no governo (22%).

Entre as profissões, os bombeiros (97%) e os pilotos de aviação (83%) são os mais confiáveis. Os jornalistas (51%) ficam no meio do caminho, acima dos motoristas de táxi (40%), mas abaixo dos farmacêuticos (65%). A confiança nos policiais é relativamente baixa (26%), embora tenha registrado um incremento de cinco pontos percentuais este ano. No pé da lista das profissões mais confiáveis estão os políticos (2%).


Reportagem divulgada no jornal Valor Econômico em 13 de julho de 2009 pela jornalista Daniele Madureira

segunda-feira, 13 de julho de 2009

GESTÃO DE CONTINUIDADE DE NEGÓCIOS EM ÓRGÃOS PÚBLICOS BRASILEIROS.

1. Introdução
"A gestão de continuidade de negócios é um processo de gestão holística que identifica ameaças potenciais à organização e seus impactos para a operação. Fornece uma estrutura para construir resiliência (resistência a ser afetada) organizacional com a capacidade para a efetiva resposta salvaguardando os interesses das principais partes interessadas, reputação, marca e ativos de valor". [1]
Conforme a ISO/IEC 17799:2005, item 11.1, a Gestão da Continuidade do Negócio tem por objetivo não permitir, ou minimizar, a interrupção das atividades do negócio e proteger os processos críticos contra efeitos de falha ou desastres significativos.
2. Porque Gestão de Continuidade de Negócios é importante
As empresas afetadas pelos ataques de 11 de Setembro, que possuiam gerenciamento de risco testados e bem desenvolvidos estavam de volta ao mercado em poucos dias.
A gestão de continuidade de negócios exige que se conheça a organização e se conheça o contexto no qual ela está inserida. É extremamente importante para a GCN que haja um Planejamento Estratégico que a suporte.
No entanto, para que se possa desenvolver um programa de GCN é necessário o apoio da alta administração ou dos órgãos superiores no serviço público e, sobretudo a definição de responsabilidades, ou política de consequências.
Como percebemos hoje isso é possível devido o grau de informação e conhecimento que perspassa os vários níveis da administração pública, e o profissionalismo do servidor público, para o que tem contribuído em alto grau as universidades corporativas nas empresas e a escola de serviço público, a ENAP, com a formação de gestores governamentais.
3. Características da GCN
3.1. A melhora da resiliência da organização contra a interrupção de sua capacidade de alcançar seus objetivos-chave é um dos pilares da continuidade dos negócios o que até pouco tempo não se percebia no serviço público, dado a mudanças políticas, que desconheciam o trabalho realizado pelos governos anteriores. Não é isso o que se observa agora quando temos o exemplo do real, lançado em 1994, tirando o Brasil da espiral inflacionária e o fazendo entrar em um círculo virtuoso de desenvolvimento. [2]
3.2. Definir um método para recuperar a habilidade de prover produtos e serviços críticos a um nível acordado dentro de um tempo definido depois da interrupção.
Atualmente, a preocupação com a qualidade no serviço público torna possível e necessário a definição de métodos de trabalho que facilitem a recuperação de produtos e serviço críticos. A preocupação com a eficiência na Administração Pública gerencial, constatada pela introdução desse princípio como um dos atributos basilares da AP, conforme art. 37 da Constituição Federal faz com que a gestão de continuidade dos negócios seja uma premissa na gestão governamental, não fora por outra causa, pelo custo envolvido nas descontinuidades dos processos.
3.3 Provar a capacidade para administrar a interrupção do negócio e proteger a reputação e a marca da Organização.
Hoje, quando a administração pública se comporta de forma gerencial, procurando obter lucros e diminuir custos, administrar a interrupção do negócio e proteger a reputação dos órgãos, que são bem mais visíveis, haja vista a transparência exigida pela sociedade nos programas de governo torna a GCN mais apropriada e bem vinda a área da Administração Pública.
4. A experiência do Serviço Público no Brasil
A administração pública no Brasil tem sido marcada por tentativas de remodelagem chamadas normalmente de Reformas Administrativas. Do modelo patrimonialista, que não diferencia com nitidez os interesses e bens públicos e privados ao modelo gerencial que se utiliza de métodos e técnicas de administração e negócios, a administração pública evoluiu, mas não de forma linear e progressiva, pois ainda vemos situações como a do Senado nos dias de hoje, em que a transparência, como um dos atributos da Administração Pública, parece ter sido esquecida, pelos dirigentes da casa.
Uma importante iniciativa que começou a ganhar expressão a partir da década de 40 foi a tentativa de institucionalizar a figura do planejamento governamental como ferramenta básica de gestão. Nesse contexto, merece destaque, no plano administrativo o Programa de Metas, desenvolvido à época do governo JK. [3]
Na época do governo militar o Dec. Lei nº 200, de 1967, postulava a descentralização das atividades administrativas, bem como dos órgãos da administração indireta, tais como fundações, autarquias e empresas públicas, permitiu que esses desenvolvessem a agilidade requerida na atividade gerencial. Nesse período foi criada a Secretaria de Modernização, incorporada ao Ministério do Planejamento e Coordenação Geral. A Constituição de 1988 gerou um retrocesso nos avanços da modernização da gestão pública, uma vez que retirou da administração indireta a sua flexibilidade operacional, atribuindo às fundações e autarquias públicas normas de funcionamento idênticas às que regem a administração direta. [3]. Em 1999, período correspondente ao segundo mandato do Presidente FHC, foi extinto o MARE, sendo suas funções absorvidas pelo Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão, num esforço de integração dos principais instrumentos de gerenciamento governamental. O planejamento governamental, a partir do lançamento do PPA – Plano Plurianual 2000/2003, assumiu papel protagonista [3]. No governo do Presidente Lula foi construido um Plano de Gestão Pública (SEGES, 2003) orientado para o fortalecimento da capacidade de governo alinhado á realização dos programas previstos no PPA. O Plano foi descontinuado, aparentemente sem dar lugar a outro, expondo mais uma vez uma visão fragmentada do governo. Mesmo com essa descontinuidade na aplicação do planejamento, o que ficou dessas experiências foi o convencimento de que qualquer tipo de empreendimento pressupõe alguma forma de construção estratégica. Ou seja, existe o esforço no sentido da implementação de uma Gestão de Continuidade dos Negócios, no Governo, mesmo que não totalmente realizada.

______________________________________________________
[1] Business Continuity Management GOOD PRACTICE GUIDELINES 2008
[2] Revista Veja, Editora Abril, edição 2120, ano 42 – n º 27, de 8 de julho de 2009.
[3] Marini, Caio. Gestão Pública no Brasil: Temas preservados e temas emergentes na formação da agenda. Brasília, Abril de 2004