quarta-feira, 27 de janeiro de 2010

A FORÇA DA INTERNET NO BRASIL

Fonte: Eugenio Carrascoza Andrecioli

Well, in the beginning, the only way to use the internet was on wired connection, basically a telephone to line make the connection. Around 2001~2002, We have the ADSL lines, but you need to have telephone to get a high speed connection.
And today we have wireless connection in almost all cities in the country. In 2008 we have 3 cities with 100% internet access for free to all people : Parintins, Pirai and sud Mennucci. In SPaulo state, we have the possibility to internet in the rural zones.
Let´s go to some numbers of Brazil…

Brazil has 190 million habitants in 5.600 cities. Minas Gerais have almost 900 cities. Amazonas has 62 and the Acre 22.
Brazil has 108 mil lan house. To make a compare, the country has almost 20 mil bank agencies. The country has around 150 mil education center and schools publics. All of them will have a high speed connection.
The MCT and MC has a projet called GESAC to do this. Private companies, like Bradesco, has telecentro too. Only Bradesco has 103 centros. Until to serve people from “assentamentos” of MST.
31 milhoes acessam a internet
24 milhoes das classe CDE
108 mil lanhouses

 AM Programa GESAC (Governo Eletrônico –Serviço de Atendimento ao Cidadão) já conta com 92 Pontos de Presença naquela região, sendo 32 em escolas estaduais, 49 em organizações militares e 11 em instituições civis organizadas. (Amazonas  62 municipios) (17 pontos de presença no município de São Gabriel com conexão gratuita à internet banda larga)
 Rio de Janeiro instala rede sem fio de banda larga no morro Santa Marta, na zona Sul. Rocinha e Baixada Fluminense são os próximos. A favela possui cerca de 10 mil moradores e 4 mil domicílios, num total de 1,6 mil computadores. Dos PCs, 800 têm conexão e sinal de 15 provedores comerciais.

 Governo leva Inclusão Digital para todas as cidades brasileiras : Quase 4 mil municípios se cadastraram no Ministério das Comunicações para receber os kits com equipamentos para a instalação de telecentros comunitários. No Amapá, Acre e Mato Grosso do Sul, a adesão foi total.
Atualmente, o Gesac conta com 3,4 mil pontos de conexão espalhados pelo país. Este número vai saltar para 20 mil até o final de 2008
Os militares da Marinha do Brasil que trabalham no posto da ilha de Trindade, a 1.167 km da costa brasileira, contam agora com internet banda larga (conexão em alta velocidade), por meio do ponto de presença do Gesac (Programa Governo Eletrônico – Serviço de Atendimento ao Cidadão) do Ministério das Comunicações.
Também neste período todas as 142 mil escolas públicas federais, estaduais e municipais serão conectadas à internet em banda larga. O projeto do ministério, em parceria com as companhias telefônicas, tem capacidade de atingir 180 mil entidades de educação, incluindo Apaes entre outras.

 Em 2008. Três cidades brasileiras têm cobertura 100% wireless: a amazonense Parintins, a fluminense Piraí e a paulista Sud Mennucci.

Embora esteja no meio da floresta, Parintins oferece o benefício a mais de 100 000 pessoas. Piraí tem apenas 24 000 moradores. Sud Mennucci não alcança sequer 8 000 habitantes.
Segundo propostas que tramitam no Congresso, um dos incentivos seria pagar os donos dos estabelecimentos se funcionarem também como uma espécie de "Poupatempo", o que aproximará o poder público do cidadão.
Discute-se a criação de um vale-internet, assim como se criou o vale-cultura. Há quem proponha que as lan houses não precisariam pagar pelas conexões, a serem bancadas pelos governos -existe um bilionário fundo para a democratização da informática (Fust), que já arrecadou R$ 8 bilhões e, por falta de regulamentação, não usou um único centavo.

A proposta mais interessante partiu da TV Cultura, que arregimentou parceiros de peso como o Comitê Gestor da Internet, Sesc, Senac, Itaú Cultural, Secretaria de Gestão do Estado de São Paulo, Associação Brasileira de Centros de Inclusão Digital, entre outros.

O que se pretende é colocar na barra de favoritos dos computadores das lan houses um botão que conduza a cursos profissionalizantes, programas educativos e cultura de qualidade. Quanto mais o botão fosse acionado, haveria mais prêmios para a casa.
Jovens seriam capacitados para o uso desses recursos e se tornariam monitores. Na cidade de São Paulo, a prefeitura criou um curso para a formação de agentes comunitários de comunicação. Tenho acompanhado a formação desses jovens de periferia que, em pouco tempo, aprendem como ensinar a usar melhor a internet.

Nenhum comentário: