domingo, 30 de janeiro de 2011

CONFIRA O PERFIL DOS NOVOS PARLAMENTARES DO RIO DE JANEIRO

RIO - A partir de 1º de fevereiro, 46 deputados federais e dois senadores da bancada do Rio assumirão suas vagas no Congresso Nacional. Um senador, Francisco Dornelles (PP), continua em seu mandato de oito anos.
Confira o perfil de cada um dos 49 parlamentares fluminenses que atuarão na Câmara e no Senado na próxima legislatura:
Anthony Garotinho (PR) - Eleito deputado federal pela primeira vez com 694.862 votos, Garotinho, de 50 anos, é radialista. Foi prefeito de Campos duas vezes (1989 a 1992 e 1997 a 1998) e governador do Rio (1999 a 2002). Ficou ameaçado de não assumir o cargo. O TSE, no entanto, determinou que fosse devolvido à primeira instância o processo em que ele tinha sido condenado por abuso de poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação. A condenação foi anulada e a ação será julgada novamente. Elegeu como sua prioridade a revisão da Constituição.
Francisco Floriano (PR) - Aos 51 anos, foi eleito com 57.018 votos. Apresenta um programa na Rádio Mundial, ligada à Igreja Mundial do Poder de Deus.
Dr Adilson Soares (PR) - Garantiu o segundo mandado como deputado federal ao receber 51.011 votos na eleição do ano passado. Tem 70 anos e foi vereador pelo Rio. Antes da vida política, trabalhou em vários bancos, como o Cruzeiro do Sul. É formado em direito pela Faculdade Cândido Mendes.
Zoinho (PR) - Nascido sob o nome de Jorge de Oliveira, usou o apelido nas urnas. Elegeu-se com 44.355 votos. No domingo da eleição, Zoinho foi detido em flagrante no bairro do Retiro, em Volta Redonda, acusado de fazer boca de urna. Foi encaminhado para a Delegacia da Polícia Federal da cidade. Tem 58 anos. Sua prioridade será o desenvolvimento econômico.
Neilton Mulim (PR) - Antes de chegar à Câmara dos Deputados pela primeira vez, em 2007, foi vereador em São Gonçalo por três legislaturas. Aos 42 anos, já exerceu o cargo de secretário de Desenvolvimento Social de São Gonçalo (2002-2004) e de secretário estadual da Infância e Juventude (2005). Candidatou-se a vice-prefeito de São Gonçalo em 2008 pelo PR, mas foi derrotado. Reelegeu-se em 2010 com 41.480 votos. Terá como prioridade a Segurança.
Dr Paulo Cesar (PR) - Assumiu a vaga de deputado federal em 2007, mas ainda como suplente. Com o afastamento do deputado Sandro Matos, eleito prefeito de São João de Meriti em 2008, foi efetivado em janeiro de 2009. No ano passado, garantiu a reeleição com 33.856 votos. Aos 50 anos, foi vereador por Cabo Frio (2001-2005) e candidato à prefeitura da cidade em 2004 e 2008, pelo PSDB e pelo PR, respectivamente. É formado em medicina e história. Afirmou que Saúde será sua bandeira principal.
Liliam Sá (PR) - Vereadora pelo Rio, garantiu sua vaga na Câmara dos Deputados ao receber 29.248 votos. É radialista e foi candidata, pelo PL, a senadora em 2002 e a deputada federal em 2006, não sendo eleita em nenhum dos dois casos. Tem 50 anos. Sua bandeira será as políticas sociais para crianças e adolescentes.
Cristiano José Rodrigues de Souza (PT-doB): Eleito com 29.176 votos. É ex-vereador no município de Duque de Caxias. Tem 32 anos.
Eduardo Cunha (PMDB) - Foi reeleito pela terceira vez com 150.616 votos. É economista, consultor de empresa e radialista. Tem 52 anos. Também foi deputado estadual, em 2001. Foi presidente da antiga Telerj de 1991 a 1993. No governo Garotinho, era presidente da Companhia Estadual de Habitação (Cehab). Recentemente, assumiu ter tido contatos pessoais e profissionais com o empresário Ricardo Magro, alvo principal de inquérito sobre fraude no setor de combustíveis. A defesa dos royalties do petróleo será sua principal bandeira.
Washington Reis (PMDB) - Recebeu 138.811 votos. É ex-prefeito de Duque de Caxias, cidade que governou entre 2005 e 2008. Foi vereador e deputado estadual. Tem 43 anos. Em 2008, perdeu as eleições para o atual prefeito José Camilo Zito dos Santos (PSDB). No ano seguinte, assumiu a Subsecretaria de Obras Metropolitanas do Rio no governo Sérgio Cabral, mas deixou o cargo para disputar as eleições. Chegou a ser impugnado pela Justiça Eleitoral por abuso de poder econômico. Sua prioridade será o desenvolvimento econômico do Rio.
Adrian (PMDB) - Aos 43 anos, foi eleito com 72.824 votos. É irmão do prefeito de Macaé, Riverton Mussi Ramos. Sua bandeira será defender os royalties do petróleo do Rio.
Alexandre Santos (PMDB) - Em 2010, garantiu vaga para seu 5º mandato consecutivo, com 72.822 votos. Empresário, Alexandre Santos detém concessão de radiodifusão no município de Cantagalo. Aos 56 anos, já passou pelo PSDB e PP antes de chegar ao atual partido. Na Câmara, foi titular na Comissão de Minas e Energia. Sua prioridade será lutar pela capacitação dos trabalhadores.
Ezequiel (PMDB) - Foi eleito para o 4º mandato como deputado federal, com 72.589 votos. Tem 65 anos e é natural de Pernambuco. Já ocupou cargos importantes como a Diretoria de Obras e de Administração e Finanças da Empresa de Obras Públicas do Rio de Janeiro (EMOP) (1984-1986) e a presidência do Metrô do Rio (1993-1994). Foi também prefeito de São Gonçalo (1997-2000) e secretário de Obras e Programas Especiais do Estado do Rio (2001-2002).
Formado em engenharia, já passou pelo PDT e PSB antes de chegar ao PMDB. Sua principal preocupação é a reforma tributária.
Nelson Bornier (PMDB) - Ex-prefeito de Nova Iguaçu (2001-2002) e deputado, assumirá como suplente. Recebeu 72.352 votos. Bornier tem 61 anos e também exerceu a função de secretário de Desenvolvimento da Baixada Fluminense e Municípios Adjacentes do Rio, entre 1995 e 1996. É formado em direito e pai do também deputado federal reeleito Felipe Bornier. Em 2008, candidatou-se à Prefeitura de Nova Iguaçu, mas foi derrotado. Citou a infraestrutura como sua principal preocupação.
Fernando Jordão (PMDB) - Foi prefeito de Angra dos Reis entre 2001 e 2008. Tem 58 anos, é empresário e engenheiro eletricista. Recebeu 70.022 votos na última eleição, mas ficou como suplente. Assumirá o cargo porque, na coligação, quatro eleitos assumirão funções na Prefeitura do Rio e no governo fluminense. Afirmou que sua prioridade será o desenvolvimento sustentável.
Solange Almeida (PMDB) - Ex-prefeita de Rio Bonito por dois mandatos, a peemedebista recebeu 52.443 votos. Também foi vereadora na cidade. Ficou na suplência de uma vaga para a Câmara dos Deputados e assumirá o cargo devido ao licenciamento de outros eleitos. É formada em medicina veterinária. Sua bandeira principal será a defesa da vida.
Alessandro Molon (PT) - Conquistou 129.515 votos. Advogado, Molon, de 39 anos, é deputado federal pela primeira vez. Em seus dois mandatos como deputado estadual, mesmo sendo do PT, fez oposição ao governador Sérgio Cabral, do PMDB, partido aliado. Em 2008, participou das investigações contra o ex-deputado Álvaro Lins, que foi cassado. No mesmo ano, foi candidato derrotado a prefeito do Rio. Segurança será sua prioridade.
Benedita (PT) - Aos 68 anos, Benedita da Silva foi eleita para a Câmara dos Deputados com 71.036 votos. Iniciou a vida pública como vereadora no Rio em 1982. Doze anos depois, foi eleita para o Senado, mas deixou o mandato para assumir a vaga de vice-governador após a vitória de Anthony Garotinho ao governo do Rio. Benedita se tornou governadora em 2002, quando Garotinho deixou o governo para disputar a Presidência. Ela tentou a reeleição, mas foi derrotada ainda no primeiro turno por Rosinha Matheus, mulher de Garotinho. Assumiu a Secretaria Especial da Assistência e Promoção Social durante o governo Lula. Sua bandeira será a seguridade social.
Edson Santos (PT) - Foi ministro da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial da Presidência de 2008 a março de 2010, quando deixou o cargo para concorrer novamente ao cargo de deputado federal. Aos 56 anos, foi reeleito com 52.123 votos, menos da metade dos 105.114 votos que recebeu em 2006. Concorreu ao Senado em 2002, mas foi derrotado. Foi vereador pelo Rio de 1989 a 2006. Afirmou que lutará pela redução das desigualdades sociais.
Chico D'Ângelo (PT) - Aos 57 anos, recebeu 47.815 votos na eleição do ano passado. Não foi eleito, mas ficou na suplência e assumirá o cargo por conta licenças de outros deputados do PT que foram ocupar postos em outras esferas do governo. É médico e foi presidente do Conselho Municipal de Saúde de Niterói (2002-2006) antes de se tornar deputado federal pela primeira vez. Também foi diretor da Federação Nacional dos Médicos (FENAM) (1992-1994). Citou a Saúde como o principal tema a ser defendido em Brasília. Citou a Saúde como o principal tema a ser defendido em Brasília.
Eliane Rolim (PT) - É casada com o prefeito de Belford Roxo, Alcides Rolim. Tem 46 anos e recebeu 43.738 votos. Suplente, assumirá o cargo de deputada federal porque outros petistas mais votados assumiram cargos em outras esferas do governo. Saneamento básico será sua principal preocupação.
Sergio Zveiter (PDT) - Foi presidente da OAB-RJ de 1991 a 1995 e do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (1998-1999). Foi também secretário de Estado de Justiça (1999-2000). Concorreu à Prefeitura de Niterói em 2000, mas foi derrotado. Segundo ele, suas principais bandeiras em Brasília serão a defesa dos royalties do petróleo, o socorro aos consumidores superendividados, a implantação de UPPs em todo o Rio e a preparação do estado para a Copa e as Olimpíadas. É irmão do presidente do Tribunal de Justiça do Rio, Luiz Zveiter, que é alvo de ação do Ministério Público por suposta campanha imprópria em favor do irmão nas eleições. Tem 54 anos e foi eleito com 65.826 votos. Afirmou que sua prioridade será a defesa dos direitos dos cidadãos.
Marcelo Matos (PDT) - Irmão do prefeito de São João de Meriti, Sandro Matos, Marcelo Matos foi o candidato a deputado federal mais votado do PDT, com 80.862 votos. Ele tem 42 anos e é comerciante. A melhoria do transporte público será sua principal defesa no Congresso.
Miro Teixeira (PDT) - Deputado federal desde 1971, foi eleito com 63.119 votos para o décimo mandato na Câmara. Foi ministro das Comunicações durante o primeiro mandato do presidente Lula e responsável pela ação que acabou derrubando no Supremo Tribunal Federal a Lei de Imprensa. Antes do PDT, foi filiado ao PP, PPS e PT. Tem 65 anos. Vai lutar principalmente pela Saúde.
Filipe Pereira (PSC) - Foi reeleito com 98.280 votos. Tem 27 anos, sendo o mais jovem deputado da bancada do Rio. É empresário e administrador de empresas. Também é membro da Assembléia de Deus. No ano passado, o Ministério Público Eleitoral o denunciou por abuso de poder econômico. No comitê de Pereira, foram apreendidos, entre outras coisas, impressos com campo para preenchimento de título de eleitor e toalhas, canecas e canetas do então candidato. A Educação será sua bandeira principal.
Hugo Leal (PSC) - Reeleito com 98.164 votos. É advogado. Tem 48 anos. Foi secretário de Administração no governo Anthony Garotinho e secretário de Justiça no governo Rosinha Garotinho. Criou a Lei 11.705, mais conhecida como Lei Seca. Elegeu o combate à violência no trânsito como sua prioridade.
Deley (PSC) - Ex-jogador do Fluminense, Palmeiras e Botafogo, Deley recebeu na última eleição 66.532 votos. Assumirá a vaga porque outros eleitos da coligação vão se licenciar. Desta forma, voltará à Câmara dos deputados para assumir seu terceiro mandato consecutivo. Foi secretário municipal do Esporte e Lazer de Volta Redonda (1997-2002). Sua principal bandeira será viabilizar a Copa e as Olimpíadas.
Arolde de Oliveira (DEM) - Com 99.457 votos, vai para seu oitavo mandato consecutivo. É engenheiro e economista. Tem 73 anos. É especialista em telecomunicações. Foi secretário municipal de Transportes do Rio. Oliveira fez oposição ao Programa Nacional dos Direitos Humanos (PNDH3), proposto no governo do ex-presidente Lula. Na campanha eleitoral do ano passado, ele liderou o movimento e espalhou outdoors pelo estado contra o programa. Sua prioridade principal será a infraestrutura.
Rodrigo Maia (DEM) - Filho do ex-prefeito Cesar Maia, Rodrigo é o atual presidente do DEM e foi um dos principais críticos do governo Lula. Aos 40 anos, assumirá seu quarto mandado consecutivo. Foi eleito, em 2010, com 86.162 votos. Rodrigo Maia nasceu no Chile em 12 de junho de 1970 e, aos 26 anos, assumiu seu primeiro cargo público, a Secretaria de Governo do município do Rio, nomeado pelo então prefeito Luiz Paulo Conde. Antes de ingressar na vida política, foi funcionário dos bancos BMG (1990) e Icatu (1993-1997). Seus projetos prioritários serão ligados à Segurança Pública.
Jair Bolsonaro (PP) - Obteve 120.646 votos, sendo reeleito pela sexta vez consecutiva. Tem 55 anos. É militar do Exército. Na carreira política, colecionou polêmicas. Foi contra o estatuto do desarmamento e a favor do controle da natalidade e da maioridade penal aos 16 anos. Em 2000, em uma entrevista, chegou a defender a utilização da tortura em casos de tráfico de droga e sequestro e a execução sumária em casos de crime premeditado. Sua prioridade será a defesa do controle da natalidade.
Simão Sessim (PP) - É deputado federal desde 1979, quando ainda pertencia à Arena, partido que apoiava o regime militar. Aos 75 anos, vai para o 9º mandato, para o qual foi eleito com 77.800 votos. Antes da vida parlamentar, foi secretário de Educação de Nova Iguaçu (1969-1970), procurador-geral de Nilópolis (1971-1972) e prefeito de Nilópolis (1973-1977). É pai de Sérgio Sessim, atual prefeito de Nilópolis. A Saúde será sua prioridade.
Dr Aluizio (PV) - Aos 42 anos, o médico Dr. Aluízio foi eleito para a Câmara dos Deputados com 73.185 votos. Em 2008, foi candidato à Prefeitura de Macaé, mas foi derrotado pelo atual prefeito. Sua maior preocupação será lutar pelos royalties do petróleo do Rio.
Sirkis (PV) - Eleito vereador por quatro legislaturas (1989-1993, 1993-1997, 1999-2001, 2008 - 2012), Sirkis deixa o mandato na Câmara Municipal para assumir a vaga de deputado federal, para o qual foi eleito com 73.185 votos. Já foi secretário municipal de Meio Ambiente (1993-1996) e de Urbanismo do Rio de Janeiro (2001-2006). Chegou a ser candidato à Presidência da República pelo PV em 1998, à prefeitura do Rio de Janeiro em 2000 e a senador em 2006, sendo derrotado em todas estas tentativas. Na década de 1970, se exilou em Buenos Aires, Santiago e Paris. Voltou ao Brasil com a Lei da Anistia, em 1979. Sua prioridade principal será a Segurança Pública.
Chico Alencar (PSOL) - Recebeu 240.724 votos, sendo eleito deputado federal pela terceira vez consecutiva. Tem 61 anos. É professor de História e historiador. Foi vereador (1989 a 1996) e deputado estadual (1999 a 2002). É membro da Comissão de Direitos Humanos e do Conselho de Ética da Câmara. Desde 2006, é incluído na lista dos cem parlamentares mais influentes do Congresso, divulgada anualmente pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap). Elegeu a reforma política como sua principal prioridade.
Jean Wyllys (PSOL) - Candidato pela primeira vez na eleição de 2010, Jean Wyllys foi eleito com 13.018 votos e entrou na segunda vaga do PSOL, graças à votação de seu companheiro de partido Chico Alencar (240.724 votos). Jean Wyllys foi o vencedor da 5ª edição do "Big Brother Brasil", faturando o prêmio de R$ 1 milhão. Professor universitário e homossexual assumido, Jean Wyllys nasceu em Alagoinhas, na Bahia, e tem 36 anos. Sua bandeira principal será os direitos humanos.
Otavio Leite (PSDB) - Depois de atuar secretário municipal de Governo (1990-1992), o advogado sergipano de 49 anos foi vereador do Rio por três legislaturas (1993 a 1997, 1997 a 2001 e de 2001 a 2003). Foi eleito deputado estadual em 2003 e, logo depois, se tornou vice-prefeito do Rio na gestão Cesar Maia. Em 2006, foi eleito para a Câmara dos Deputados e, no ano passado, foi reeleito com 84.452 votos. Otávio Leite é afilhado de batismo do ex-presidente Juscelino Kubitschek. Elegeu os direitos dos deficientes físicos como sua principal bandeira.
Andreia Zito (PSDB) - É filha do prefeito de Duque de Caxias, José Camilo Zito. Chegou à Câmara dos deputados em 2007, depois de cumprir dois mandatos na Assembleia Legislativa do Rio (1999-2003 e 2003-2007). Foi titular na Comissão de Trabalho, Administração e Serviço Público. Aos 36 anos e bacharel em Direito, Andreia Zito foi reeleita com 82.832 votos, bem menos do que os 190 mil votos que recebera na eleição anterior. Saúde será sua prioridade no Congresso. Sua prioridade será a Saúde.
Romário (PSB) - Ex-jogador de futebol, Romário, de 44 anos, foi eleito pela primeira vez com 146.859 votos. Com a seleção, conquistou a Copa do Mundo dos Estados Unidos, em 1994. No mesmo ano, foi eleito o melhor jogador do mundo pela Fifa. Fez 1.006 gols na carreira. No Brasil, passou por clubes como Vasco, Flamengo e Fluminense. No exterior, jogou por PSV Eindhoven, Barcelona, Valencia, Al-Sadd, Miami e Adelaide United. A inclusão social por meio do esporte será sua principal bandeira.
Glauber (PSB) - Era suplente e assumiu o mandato de deputado federal entre 6 de janeiro e 2 de fevereiro de 2009 e de 3 de fevereiro de 2009 a 31 de março do ano passado, em virtude do afastamento de Jorge Bittar. A partir de 5 de janeiro de 2011, voltou à condição de parlamentar em virtude do licenciamento de Luiz Sérgio, que se tornou ministro da Secretaria de Relações Institucionais. Foi eleito ano passado com 57.549 votos. Elegeu como prioridade diminuir os efeitos relacionados aos desastres naturais.
Vitor Paulo (PRB) - Assume o cargo pela primeira vez com 157.580 votos. É jornalista e ligado ao senador Marcelo Crivella. Tem 46 anos. Atualmente, é presidente nacional do PRB e bispo da Igreja Universal do Reino de Deus. É o coordenador político da Universal e integrante do Conselho de Bispos desde a destituição do ex-deputado federal e ex-bispo Carlos Rodrigues, por envolvimento com o caso Waldomiro Diniz, em 2004.
Jandira Feghali (PC do B) - Eleita com 146.260 votos, Jandira Feghali é deputada federal desde 1991. Também foi deputada estadual, entre 1987 e 1990. É médica e tem 53 anos. Foi secretária de Desenvolvimento Econômico de Niterói e secretária de Cultura do Rio de Janeiro. Em 2005, relatou o projeto de lei do governo que coíbe a violência doméstica contra a mulher, a chamada Lei Maria da Penha.
Stepan Nercessian (PPS) - Eleito vereador pela cidade do Rio em 2004 e reeleito na eleição seguinte, o goiano Stepan Nercessian deixa a vaga para assumir, aos 57 anos, o cargo de deputado federal. Ator de cinema e televisão, já participou de novelas e minisséries da TV Globo, como "Cobras e Lagartos", "A Lua me Disse", "Um Só Coração" e "A Casa das Sete Mulheres". É presidente do Retiro dos Artistas e foi presidente do Sindicato dos Artistas e Técnicos em Espetáculos de Diversão do Rio de Janeiro (Sated). Afirmou que a cultura será sua principal bandeira.
Walney Rocha (PTB) - Foi vereador de Nova Iguaçu de 1989 a 1995. Depois, foi eleito para a Assembléia Legislativa do Rio, onde permanecer por três legislaturas (de 1995 a 2007). Também exerceu o cargo de secretário de Saúde de Nova Iguaçu, de 2008 até o ano passado. Já teve passagens pelo PDT, PMDB e PAN, antes de chegar ao PTB. Recebeu 51.203 votos para chegar à Câmara dos deputados em 2011. Tem 51 anos.
Felipe Bornier (PHS) - Ingressou na atividade política ao participar das campanhas do pai, o também deputado federal e ex-prefeito de Nova Iguaçu, Nelson Bornier. Foi reeleito para a Câmara dos Deputados com 44.236 votos. Em seu primeiro mandato, integrou a Comissão da Defesa do Consumidor. É formado em marketing pela Faculdade Estácio de Sá. Tem 32 anos. Afirma que sua principal bandeira será a Educação.
Aureo (PRTB) - Único eleito em sua coligação, que envolvia três partidos. Tem 31 anos e recebeu 29.009 votos. Nunca exerceu qualquer função pública. Elegeu como prioridade o combate às drogas.
Dr. Carlos Alberto (PMN) - Aos 65 anos, é ex-coordenador geral da Lei Seca. Com a licença de Alexandre Cardoso, que assumiu a Secretaria Estadual de Ciência e Tecnologia, assumiu a vaga de deputado. Conquistou 42.808 votos. Citou o combate à violência no trânsito como sua prioridade.
Senadores
Francisco Dornelles (PP) - Eleito em 2006 com 3.373.731 votos. Foi deputado federal e ministro da Fazenda, no governo Sarney, e da Indústria e Comércio e também do Trabalho, no governo Fernando Henrique Cardoso. Tem 81 anos. É advogado, mestre e doutor em Direito Financeiro pela UFRJ. Citou a defesa dos royalties do petróleo do Rio como sua principal preocupação.
Lindberg Farias (PT) - Em 2010, foi eleito com 4.213.749 votos. Tem 41 anos. Ex-líder estudantil, liderou o movimento dos Caras Pintadas, que, em 1992, levou ao impeachement do então presidente Fernando Collor de Mello. Foi deputado federal e prefeito de Nova Iguaçu, entre 2005 e 2010. Citou a defesa dos royalties do petróleo do Rio como sua principal preocupação.
Marcelo Crivella (PRB) - Reeleito com 3.332.886 votos. Formado em Engenharia Civil, tem 53 anos. É bispo licenciado da Ugreja Universal do Reino de Deus e sobrinho de Edir Macedo, líder religioso e fundador da Universal. Também é cantor e compositor de músicas gospel. Vai propor medidas para melhorar a vigilância das fronteiras do país.

Um comentário:

carlos aceveda disse...

Vereador Fausto Alves acusado de assassinato: advogado vai pedir habeas corpus
http://aceveda.com.br/blog/?p=17907
MP denuncia Arthur Cezar Soares do grupo Facility por formação de cartel em serviços para o Detran
http://aceveda.com.br/blog/?p=17971
Segundo sindicato, um terço dos coordenadores da área de educação é apadrinhado por deputados
http://aceveda.com.br/blog/?p=18245
Thiago Pampolha é denunciado por abuso de poder econômico pela Procuradoria Regional Eleitoral
http://aceveda.com.br/blog/?p=18682
Paulo Melo anuncia o fim do acordo com Domingos Brazão pela presidência da Alerj
http://aceveda.com.br/blog/?p=20113
Paulo Melo deverá ser eleito presidente da Alerj e mantém decisão de não ceder o cargo a Domingos Brazão
http://aceveda.com.br/blog/?p=20803
Paulo Melo eleito novo presidente da Alerj, mesmo com o risco de ter o mandato cassado por crime eleitoral
http://aceveda.com.br/blog/?p=21065
Rafael Picciani: pai deixa Alerj mas nomeia filho presidente da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ)
http://aceveda.com.br/blog/?p=21103
PR irá encaminhar nome de deputados estaduais que votaram em Paulo Melo à Comissão de Ética do partido
http://aceveda.com.br/blog/?p=21170
Deputado André Ceciliano: suplente que tomou posse na Alerj é acusado pelo MP de fraudar licitação
http://aceveda.com.br/blog/?p=21289