sábado, 15 de janeiro de 2011

A ESTÓRIA DOS TRÊS PORQUINHOS, OU: PORQUÊ VOCÊ NÃO COMPRA UM TROLLER?

A representante da ONU é explicita ao falar. O Brasil não é Bangladesh. E, concluimos, nem Portugal, não importa se o Chico Buarque falou que "esse país ainda vai cumprir seu ideal, ainda vai tornar-se um imenso Portugal".E nem a Austrália, que nos deu uma lição de planejamento e organização que só acontecem quando há vontade política.
Os nossos governantes devem achar que não tem necessidade de ler, senão teriam lido a história de José do Egito e seu planejamento estratégico e,se não chegama tanto, pelo menos poderiam ter lido, quando crianças a estória dos três porquinhos, clássico da literatura infantil. Então saberiam que precisariam fazer as casas de alvenaria que no caso presente seria um planejamento estratégico e obras de infraestrutura que iriam além das casas. Que pena! Que resultado catastrófico Dra. Dilma Rousseff. E depois deixar tudo na mão da população para que resolva. Nem todo mundo tem um troller para atravessar as ruas alagadas de São Paulo. Existem muitas pessoas pobres na região atingida que perderam seus bens, mas que o bem maior, esse não é passível de restituição, pois perderam filhos, perderam netos, perderam pais, mães, irmãos e amigos.
Eu não acredito que nós, os que estamos em áreas não atingidas vamos ficar apenas olhando, não. Dra. Dilma, o brasileiro não se encanta mais com promessas vazias. O seu ministério se reuniu e descobriu que não podia realizar o trabalho, porque não sabia o que era a pobreza extrema. Talvez agora ele já saiba. Pobreza extrema é a falta de sensibilidade do governo que sobrevoou todas as catastrofes e não fez nada para ameniza-las ou impedi-las, apenas agiu casuisticamente, numa tentativa de cobrir o sol com uma peneira.
Nós, os brasileiros, estamos de olho. Não queremos seu posto, queremos que vocês trabalhem e oramos para que Deus os abençõe e dê forças para realizar o que tem que ser feito e que vocês prometeram nas campanhas políticas de memória recente.

Nenhum comentário: