segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

OS LIMITES DO CRESCIMENTO - I

Em 1972, em resposta a uma solicitação do Clube de Roma, um grupo de cientistas da MIT, encabeçadas por Donella Meadows, escreveu um livro denominado Limites do Crescimento.
Com base na análise de cinco grandes tendências globais, a saber, industrialização acelerada, rápido crescimento demográfico, subnutrição generalizada, erosão de recursos não renováveis e destruição do meio ambiente, o estudo concluía que, se mudanças radicais não fossem introduzidas nos modelos de produção e consumo, os limites do crescimento seriam alcançados em algum momento dos próximos 50 anos.
O relatório não era uma previsão apocalíptica e sim um chamamento à ação. Não estávamos condenados ao colapso, desde que a humanidade fosse capaz de tomar as medidas necessárias para criar as condiçõess de uma estabilidade ecológica e econômica sustentável no longo prazo.
Não se tratava de frear o crescimento econômico, mas sim de buscar novos caminhos capazes de assegurar a cada habitante do planeta a satisfação de suas necesssidades básicas e a oportunidade de plena realização de seu potencial humano.
A equipe acreditava que a discussão gerada pelo livro levaria a sociedade a executar ações corretivas para reduzir a possibilidade de colapso.

Nenhum comentário: