sexta-feira, 3 de agosto de 2012

BONDADE TAMBÉM SE APRENDE!


 "Eu não tenho medo dos anos e não penso em velhice. E digo prá você:
 não pense. Nunca diga estou envelhecendo ou estou ficando velha. Eu
 não digo. Eu não digo que estou ouvindo pouco. É claro que quando
 preciso de ajuda, eu digo que preciso. Procuro sempre ler e estar
 atualizada com os fatos e isso me ajuda a vencer as dificuldades da
 vida. O melhor roteiro é ler e praticar o que lê. O bom é produzir
 sempre e não dormir de dia. Também não diga prá você que está ficando
 esquecida, porque assim você fica mais. Nunca digo que estou doente,
 digo sempre: estou ótima. Eu não digo nunca que estou cansada. Nada de
 palavra negativa .Quanto mais você diz estar ficando cansada e
 esquecida, mais esquecida fica. Você vai se convencendo daquilo e
 convence os outros. Então silêncio! Sei que tenho muitos anos. Sei que
 venho do século passado, e que trago comigo todas as idades, mas não
 sei se sou velha não. Você acha que eu sou? Tenho consciência de ser
 autêntica e procuro superar todos os dias minha própria personalidade,
 despedaçando dentro de mim tudo que é velho e morto, pois lutar é a
 palavra vibrante que levanta os fracos e determina os fortes. O
 importante é semear, produzir milhões de sorrisos de solidariedade e
 amizade. Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça.
 Digo o que penso, com esperança. Penso no que faço com fé. Faço o que
 devo fazer, com amor.
 Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se
 aprende". CORA CORALINA

quinta-feira, 28 de junho de 2012

CÓDIGO DE TRÂNSITO BRASILEIRO

ISSO É APENAS UM LEMBRETE.
VAMOS FICAR LIGADOS, POIS NOSSO BOLSO SOFRE.

CAPÍTULO - XV DAS INFRAÇÕES

Art. 161. Constitui infração de trânsito a inobservância de qualquer preceito deste Código, da legislação complementar ou das resoluções do CONTRAN, sendo o infrator sujeito às penalidades e medidas administrativas indicadas em cada artigo, além das punições previstas no Capítulo XIX. Parágrafo único. As infrações cometidas em relação às resoluções do CONTRAN terão suas penalidades e medidas administrativas definidas nas próprias resoluções.

Art. 162. Dirigir veículo:

I - sem possuir Carteira Nacional de Habilitação ou Permissão para Dirigir: Infração - gravíssima; Penalidade - multa (três vezes) e apreensão do veículo;

II - com Carteira Nacional de Habilitação ou Permissão para Dirigir cassada ou com suspensão do direito de dirigir: Infração - gravíssima; Penalidade - multa (cinco vezes) e apreensão do veículo;

III - com Carteira Nacional de Habilitação ou Permissão para Dirigir de categoria diferente da do veículo que esteja conduzindo: Infração - gravíssima; Penalidade - multa (três vezes) e apreensão do veículo; Medida administrativa - recolhimento do documento de habilitação;

IV - fora das restrições impostas para a Permissão para Dirigir: (VETADO) Infração - gravíssima; Penalidade - multa (cinco vezes) e cassação da Permissão para Dirigir; Medida administrativa - recolhimento da Permissão para Dirigir;

V - com validade da Carteira Nacional de Habilitação vencida há mais de trinta dias: Infração - gravíssima; Penalidade - multa; Medida administrativa - recolhimento da Carteira Nacional de Habilitação e retenção do veículo até a apresentação de condutor habilitado;

VI - sem usar lentes corretoras de visão, aparelho auxiliar de audição, de prótese física ou as adaptações do veículo impostas por ocasião da concessão ou da renovação da licença para conduzir: Infração - gravíssima; Penalidade - multa; Medida administrativa - retenção do veículo até o saneamento da irregularidade ou apresentação de condutor habilitado.

Art. 163. Entregar a direção do veículo a pessoa nas condições previstas no artigo anterior: Infração - as mesmas previstas no artigo anterior; Penalidade - as mesmas previstas no artigo anterior; Medida administrativa - a mesma prevista no inciso III do artigo anterior.

Art. 164. Permitir que pessoa nas condições referidas nos incisos do art. 162 tome posse do veículo automotor e passe a conduzi-lo na via: Infração - as mesmas previstas nos incisos do art. 162; Penalidade - as mesmas previstas no art. 162; Medida administrativa - a mesma prevista no inciso III do art. 162.

Art. 165. Dirigir sob a influência de álcool, em nível superior a seis decigramas por litro de sangue, ou de qualquer substância entorpecente ou que determine dependência física ou psíquica.

INFRAÇÃO: Gravíssima.

PENALIDADE: Multa (cinco vezes) e suspensão do direito de dirigir.

MEDIDA ADMINISTRATIVA: Retenção do veículo até a apresentação de condutor habilitado e recolhimento do documento de habilitação.

Parágrafo único. A embriaguez também poderá ser apurada na forma do art. 277.

Art. 166. Confiar ou entregar a direção de veículo a pessoa que, mesmo habilitada, por seu estado físico ou psíquico, não estiver em condições de dirigi-lo com segurança:

Infração - gravíssima;

Penalidade - multa.

Art. 167. Deixar o condutor ou passageiro de usar o cinto de segurança, conforme previsto no art. 65:

Infração - grave;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - retenção do veículo até colocação do cinto pelo infrator.

Art. 168. Transportar crianças em veículo automotor sem observância das normas de segurança especiais estabelecidas neste Código:

Infração - gravíssima;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - retenção do veículo até que a irregularidade seja sanada.

Art. 169. Dirigir sem atenção ou sem os cuidados indispensáveis à segurança:

Infração - leve;

Penalidade - multa.

Art. 170. Dirigir ameaçando os pedestres que estejam atravessando a via pública, ou os demais veículos:

Infração - gravíssima;

Penalidade - multa e suspensão do direito de dirigir;

Medida administrativa - retenção do veículo e recolhimento do documento de habilitação.

Art. 171. Usar o veículo para arremessar, sobre os pedestres ou veículos, água ou detritos:

Infração - média;

Penalidade - multa.

Art. 172. Atirar do veículo ou abandonar na via objetos ou substâncias:

Infração; média;

Penalidade - multa;

Art. 173. Disputar corrida por espírito de emulação:

Infração - gravíssima;

Penalidade - multa (três vezes), suspensão do direito de dirigir e apreensão do veículo;

Medida administrativa - recolhimento do documento de habilitação e remoção do veículo.

Art. 174. Promover, na via, competição esportiva, eventos organizados, exibição e demonstração de perícia em manobra de veículo, ou deles participar, como condutor, sem permissão da autoridade de trânsito com circunscrição sobre a via:

Infração - gravíssima;

Penalidade - multa (cinco vezes), suspensão do direito de dirigir e apreensão do veículo;

Medida administrativa - recolhimento do documento de habilitação e remoção do veículo.

Parágrafo único. As penalidades são aplicáveis aos promotores e aos condutores participantes.

Art. 175. Utilizar-se de veículo para, em via pública, demonstrar ou exibir manobra perigosa, arrancada brusca, derrapagem ou frenagem com deslizamento ou arrastamento de pneus:

Infração - gravíssima;

Penalidade - multa, suspensão do direito de dirigir e apreensão do veículo;

Medida administrativa - recolhimento do documento de habilitação e remoção do veículo.

Art. 176. Deixar o condutor envolvido em acidente com vítima:

I - de prestar ou providenciar socorro à vítima, podendo fazê-lo;

II - de adotar providências, podendo fazê-lo, no sentido de evitar perigo para o trânsito no local;

III - de preservar o local, de forma a facilitar os trabalhos da polícia e da perícia;

IV - de adotar providências para remover o veículo do local, quando determinadas por policial ou agente da autoridade de trânsito;

V - de identificar-se ao policial e de lhe prestar informações necessárias à confecção do boletim de ocorrência:

Infração - gravíssima;

Penalidade - multa (cinco vezes) e suspensão do direito de dirigir;

Medida administrativa - recolhimento do documento de habilitação.

Art. 177. Deixar o condutor de prestar socorro à vítima de acidente de trânsito quando solicitado pela autoridade e seus agentes:

Infração - grave;

Penalidade - multa.

Art. 178. Deixar o condutor, envolvido em acidente sem vítima, de adotar providências para remover o veículo do local, quando necessária tal medida para assegurar a segurança e a fluidez do trânsito:

Infração - média;

Penalidade - multa.

Art. 179. Fazer ou deixar que se faça reparo em veículo na via pública, salvo nos casos de impedimento absoluto de sua remoção e em que o veículo esteja devidamente sinalizado:

I - em pista de rolamento de rodovias e vias de trânsito rápido:

Infração - grave;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

II - nas demais vias:

Infração - leve;

Penalidade - multa.

Art. 180. Ter seu veículo imobilizado na via por falta de combustível:

Infração - média;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo.

Art. 181. Estacionar o veículo:

I - nas esquinas e a menos de cinco metros do bordo do alinhamento da via transversal:

Infração - média;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

II - afastado da guia da calçada (meio-fio) de cinqüenta centímetros a um metro:

Infração - leve; Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

III - afastado da guia da calçada (meio-fio) a mais de um metro:

Infração - grave;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

IV - em desacordo com as posições estabelecidas neste Código:

Infração - média;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

V - na pista de rolamento das estradas, das rodovias, das vias de trânsito rápido e das vias dotadas de acostamento:

Infração - gravíssima;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

VI - junto ou sobre hidrantes de incêndio, registro de água ou tampas de poços de visita de galerias subterrâneas, desde que devidamente identificados, conforme especificação do CONTRAN:

Infração - média;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

VII - nos acostamentos, salvo motivo de força maior:

Infração - leve;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

VIII - no passeio ou sobre faixa destinada a pedestre, sobre ciclovia ou ciclofaixa, bem como nas ilhas, refúgios, ao lado ou sobre canteiros centrais, divisores de pista de rolamento, marcas de canalização, gramados ou jardim público:

Infração - grave;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

IX - onde houver guia de calçada (meio-fio) rebaixada destinada à entrada ou saída de veículos:

Infração - média;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

X - impedindo a movimentação de outro veículo:

Infração - média;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

XI - ao lado de outro veículo em fila dupla:

Infração - grave;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

XII - na área de cruzamento de vias, prejudicando a circulação de veículos e pedestres:

Infração - grave;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

XIII - onde houver sinalização horizontal delimitadora de ponto de embarque ou desembarque de passageiros de transporte coletivo ou, na inexistência desta sinalização, no intervalo compreendido entre dez metros antes e depois do marco do ponto:

Infração - média;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

XIV - nos viadutos, pontes e túneis:

Infração - grave;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

XV - na contramão de direção:

Infração - média; Penalidade - multa;

XVI - em aclive ou declive, não estando devidamente freado e sem calço de segurança, quando se tratar de veículo com peso bruto total superior a três mil e quinhentos quilogramas:

Infração - grave;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

XVII - em desacordo com as condições regulamentadas especificamente pela sinalização (placa - Estacionamento Regulamentado):

Infração - leve;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

XVIII - em locais e horários proibidos especificamente pela sinalização (placa - Proibido Estacionar):

Infração - média;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo;

XIX - em locais e horários de estacionamento e parada proibidos pela sinalização (placa - Proibido Parar e Estacionar):

Infração - grave;

Penalidade - multa;

Medida administrativa - remoção do veículo.

§ 1º. Nos casos previstos neste artigo, a autoridade de trânsito aplicará a penalidade preferencialmente após a remoção do veículo.

§ 2º. No caso previsto no inciso XVI é proibido abandonar o calço de segurança na via.

terça-feira, 26 de junho de 2012

COMO SERÁ O AMANHÃ

A Central Intelligence Agency of the United States of America, a famosa CIA, publicou, em 2009,  um relatório, que no Brasil foi editado com prefácio do jornalista Heródoto Barbeiro, em que são discutidas questões como: O fim do império americano; China, Índia e Brasil: as potências do futuro; Guerras por água e alimentos; Brasil gerando empresas nacionais e globalmente competitivas; Grupos e minorias terão poder bélico considerável; Brasil: potência regional e líder e O mundo terá uma grande classe média.

Interessante é perceber como uma prospecção em termos de futuro pode ser bastante aproximada da realidade em uma ambiente de turbulência e mudança.
Colocamos a título de exemplo um dos problemas citados referentes ao Brasil e à forma de encarar o futuro deste país. Copiado do retatório essas palavras abaixo retratam a situação do país na atualidade.

 "O progresso em temas sociais, como a redução do crime e da pobreza, tende a exercer um papel decisivo na determinação do status futuro da liderança do Brasil. Sem avanços na execução da lei, até mesmo o rápido crescimento econômico será interrompido pela instabilidade resultante do crime e da corrupção persistentes. Também serão necessários mecanismos para incorporar uma parte cada vez maior da população na economia formal para reforçar o status do Brasil como moderna potência mundial."

sexta-feira, 22 de junho de 2012

PENSE


"Minha mensagem não é uma doutrina, não é uma filosofia. Minha mensagem é uma certa alquimia, uma ciência da transformação; assim, somente aqueles que estão dispostos a morrer como são e a renascer em algo tão novo que agora nem podem imaginar, somente essas poucas pessoas corajosas estarão prontas a me ouvir, porque isto será perigoso. Ouvindo, você dá o primeiro passo em direção ao renascimento. Por isso, a minha mensagem não é uma simples comunicação verbal. Ela é muito mais perigosa. Ela é nada menos do que a morte e o renascimento."
Essas palavras são de Osho, nome pelo qual ficou conhecido o professor e filósofo indiano Rajneesh, chamado Bagwan Shree Rajneesh, nascido em Puna, na Índia, em 1931. Ele fez um estudo que englobou filósofos, Buda e até Jesus e extraiu um ensinamento que aplicou em sua vida e ensinou a vários discípulos denominados Saniasins.
Um estudo comparativo entre as palavras de Jesus e as de Osho, mostram que realmente ele aproveitou os ensinamento do Rabi da Galiléia e assim ensinou aos seus discípulos.
Vejamos este trecho de discursos de Rajneesh e comparemos com o ensinamento de Jesus, quando falou para Nicodemos: "Em verdade, em verdade te digo que quem não nascer de novo, não pode ver o reino de Deus." E ainda, quando o apóstolo Paulo, cristão, diz: A fé vem pelo ouvir, e ouvir a Palavra de Deus.

quarta-feira, 20 de junho de 2012

AS COLHERES DE CABO COMPRIDO


Conta uma lenda que Deus convidou um homem para conhecer o céu e o inferno.
Foram primeiro ao inferno.
Ao abrirem uma porta, o homem viu uma sala em cujo centro havia um caldeirão de substanciosa sopa e à sua Volta estavam sentadas pessoas famintas e
desesperadas.
Cada uma delas segurava uma colher, porém de cabo muito comprido, que lhes possibilitava alcançar o caldeirão, mas não permitia que colocassem a sopa
na própria boca. O sofrimento era Grande.
Em seguida, Deus levou o homem para conhecer o céu.
Entraram em uma sala idêntica à primeira: havia o mesmo caldeirão, as pessoas em Volta e as colheres de cabo comprido. A diferença é que todos  estavam saciados. Não havia fome, nem sofrimento.
'Eu não compreendo', disse o homem a Deus, 'por que aqui as pessoas estão felizes enquanto na outra sala morrem de aflição, se é tudo igual?'
Deus sorriu e respondeu:
'Você não percebeu? É Porque aqui eles aprenderam a Dar comida uns aos outros.'

Moral:
Temos três situações que merecem profunda reflexão:
1. Egoísmo: as pessoas no 'inferno' estavam altamente preocupadas com a sua própria fome, impedindo que se pensasse em alternativas para equacionar a
situação;
2. Criatividade: como todos estavam querendo se safar da situação caótica que se encontravam, não tiveram a iniciativa de buscar alternativas que
pudessem resolver o problema;
3. Equipe: se tivesse havido o espírito solidário e ajuda mútua, a situação teria sido rapidamente resolvida.

Conclusão:
Dificilmente o individualismo consegue transpor barreiras.
O espírito de equipe é essencial para o alcance do sucesso; Uma equipe participativa, homogênea, coesa, vale mais do que um batalhão de pessoas com posicionamentos isolados.
Isso vale para qualquer área da nossa vida, especialmente a profissional.
E, lembre sempre: A alegria faz bem à saúde; estar sempre triste é morrer aos poucos

terça-feira, 19 de junho de 2012

O QUE É UM SISTEMA?



Por muitos séculos os cientistas acreditaram que a melhor maneira de aprender sobre alguma coisa seria separá-la para análise. Foi o que Descartes ensinou no Discurso do Método.  Esta visão já foi bem sucedida, particularmente na biologia, química e física.
Contudo, um dos resultados dessa atitude foi a divisão das ciências em muitas especialidades diferentes. Dessa forma, “experts” em cada assunto desenvolveram suas próprias teorias e sua própria linguagem. Eventualmente, isto significava que cientistas de diferentes campos não se entendiam e muito menos os leigos não podiam entender tantas linguagens esdrúxulas.
Em 1920, um grupo de pesquisadores começou a estudar modelos e procurar entender a forma em que todos os diferentes tipos de sistemas eram organizados. E, fizeram uma descoberta. Não importa quão diferente seja o sistema, seus componentes eram todos organizados segundo uma mesma lei, uma regra geral de organização dos sistemas. Pela primeira vez havia um modo de colocar juntos todos os campos de conhecimento e mostrar o que eles tinham em comum.
Este novo campo, que é conhecido como “teoria geral de sistemas”, começou a ter um poderoso impacto quase imediatamente tanto nas ciências, como na vida das pessoas que não faziam ideia do que ele era.
Entre outras coisas, este campo possibilitou o desenvolvimento de computadores sofisticado e da automação e sua aplicação prática, servindo como uma ferramenta essencial para o gerenciamento de todos os tipos de negócios e instituições.
Podemos então, conceituar sistema como um “conjunto de partes que interagem com outras, para funcionar como um todo”.
Um bom gerente de loja olha cuidadosamente para seu estoque e sabe o momento que tem que reabastecê-lo. Se algum de seus empregados vende mais lentamente que o esperado, ele reduz ou cancela pedidos de suprimento de estoque. Se o seu produto não é popular ele tem que reduzir o preço para conseguir compradores. Algumas vezes ele terá mesmo que vender o seu produto por menos do que pagou por ele.
De outro modo, se algum produto demonstra ser mais popular que o esperado, ele tem que fazer pedidos adicionais de suprimento para o estoque rapidamente.
O mesmo acontece com as organizações sociais. Por exemplo, muitos tipos de grupos sociais precisam de um mínimo de membros de maneira a poder atender suas funções. A igreja precisa de uma congregação para pagar o salário do pastor. Um time de futebol precisa de um número mínimo de 11 jogadores. E assim por diante. Alguns grupos sociais precisam recrutar novos membros para repor seu quantitativo mínimo, quando alguns deles morrem, mudam-se para outra localidade, encontram outros interesses ou simplesmente abandonam  o grupo. Se as pessoas que ingressam no grupo são suficientes para repor o quorum mínimo, então não há problemas. Mas, se o número de pessoas que querem deixar o grupo supera o daquelas que querem aderir ao grupo, então é o caso de se preocupar.
Isto tudo, essas relações são chamadas de laços de feedback que podem ser negativos ou positivos e podem direcionar a atuação do dirigente.
Os sistemas são vivos, eles não param, está sempre acontecendo alguma coisa, dentro ou fora dele que faz com que ele reaja. É função de o estudioso zelar pela continuidade do sistema e ficar de olho nos feedbacks que recebe.
Fonte: Draper L. Kauffman, Jr.
Systems One: An Introduction to Systems Thinking
The Future Systems Series. 

quinta-feira, 14 de junho de 2012

SISTEMAS DINÂMICOS

Não é segredo que o mundo em que nós vivemos é complexo e que está se tornando mais complexo a cada minuto.

Problemas como poluição, falta de energia, inflação, desemprego, crimes e decadência urbana afetam a todos nós.

Ninguém pode ser especialista em todos os assuntos. Mas quando nós pedimos ajuda aos especialistas, eles sempre parecem confusos e isolados do verdadeiro problema e procuram achar determinadas peças do problemas que o tornem factível de ser encaixado dentro daquela área de conhecimento que ele (o especialista) domina. Existe um ditado popular que diz: “Se a única ferramenta de um homem é um martelo, tudo para ele são pregos”.

Em outras palavras, nós todos precisamos entender o mundo ao nosso redor, para podermos sobreviver, mas não podemos nos tornar “experts” em todos os assuntos.

Surpreendentemente, há uma forma de aprender como lidar com o mundo a nossa volta, com toda a sua complexidade, sem nos transformarmos em um “superman”. A resposta está em trabalharmos com uma abordagem que poderia ser denominada “sistemas dinâmicos”.

EXPECTATIVAS

Se essa abordagem pode fazer isso tudo, porque ela ainda é tão pouco conhecida?

Primeiramente porque as escolas são normalmente lentas ao mudar a sua grade curricular. Esta matéria ainda é nova e parece muito estranha para muitas pessoas que foram treinadas na forma tradicional de pensar. A segunda razão, e talvez a mais importante, é que a maior parte do que foi escrito o foi de forma extremamente técnica, em linguagem matemática e portanto de difícil leitura e compreensão.

No entanto, se você estiver disposto a despender um esforço moderado no sentido da compreensão e aprendizado dessa matéria, e estiver disposto a repensar aquelas coisas que você considera que já estão incorporadas ao seu modelo mental, ou seja, estiver disposto a se abrir ao novo, poderá verificar que:

1. Será fácil para você aprender novos assuntos. Muitos problemas são pensados de forma isolada e independente dos outros, o que torna difícil a aprendizagem, pois você estará sempre recomeçando do zero. Se usar uma abordagem de sistemas dinâmicos, verá que cada novo conhecimento poderá ser construído em cima e utilizando o conhecimento que você já possui sobre outros assuntos.

2. A utilização da abordagem de sistemas dinâmicos não garante a solução para cada um dos problemas apresentados, mas aumenta as chances de sucesso.

3. Você obterá algumas sugestões sobre estratégias efetivas pra influenciar o mundo a sua volta. A abordagem de sistemas dinâmicos pode ajudar você a identificar uma grande quantidade de pontos no sistema onde seu esforço terá uma grande chance de sucesso.

4. Finalmente, você obterá alguma ajuda no desenvolvimento de uma visão própria do mundo. Tanto na escola como fora dela, o conhecimento que lhe é transmitido vem em bits ou pedaços, com a visão de sistemas dinâmicos você poderá criar uma forma de observar estas partes, não de forma fragmentada, mas como um todo, o que lhe mostrará com mais clareza, onde atuar, para obter o máximo de resultados exitosos.

Fonte: Draper L. Kauffman, Jr.
Systems One: An Introduction to Systems Thinking
The Future Systems Series.


segunda-feira, 4 de junho de 2012

PRECONCEITO

Ontem à noite presenciei mais uma cena de preconceito no meio de tantas que às vezes somos obrigados a engolir, na vida.

Só que, infelizmente, estas cenas têm se repetido em um lugar em que não deveriam existir, pois uma igreja é ou não é “a casa de Deus, onde nós todos somos irmãos?”

Mais uma vez, o pastor da minha igreja, que não gosta de gatos, demonstrou ser preconceituoso, dessa vez contra idade. Começou a falar sobre um lindo versículo bíblico encontrado em João, tido como o menor versículo da Bíblica. “Jesus chorou”. E pregou sobre Lázaro e a sua ressurreição. Falou que ele era amigo de Jesus, falou sobre Marta e também sobre Maria. Concluiu dizendo que a oração de Maria tinha tocado o coração de Deus e feito Jesus chorar e a partir daí ele teria feito o milagre da ressurreição de Lázaro.

Muito bem encadeadas as palavras até aí. Só que a partir daí ele falou sobre a morte, de como nós temos medo de morrer e arrematou dizendo que uma pessoa que já está com 95 anos não deveria pedir oração para viver, mas aceitar a morte como uma coisa boa, uma vez que estaria certa da sua salvação e da morada eterna com Jesus Cristo.

A pergunta que não quer calar, no entanto é. Por que uma pessoa idosa deveria esperar a morte como libertação? E, a partir de que momento a pessoa sente que não tem mais nada a fazer aqui na terra e pede para morrer? Não estaria ele incomodado com a presença de pessoas idosas e ele sim, definindo o momento em que elas deveriam sair do palco da vida, para não molestar os outros com a sua presença?

Olhar para uma pessoa idosa, logicamente fará o jovem lembrar que ele também chegará a esse estágio, se tiver a ventura de não morrer na flor da idade. E, se ainda não chegamos lá, não seria o caso de tentarmos entender como o velho vê a vida?

Sabemos pela história da vida de Buda, que o seu pai o impedia de ver qualquer coisa desagradável quando saía do palácio, desde pessoas velhas a flores murchas.

Isso tudo para não confrontá-lo com a realidade inexorável que espera a todos nós, mortais e humanos.

Ouvi a mensagem do pastor ontem à noite e ela já não estava mais na minha memória de trabalho, quando, folheando uma revista me deparo com um artigo intitulado Paraíso da Arte, que tem como manchete o seguinte: Em uma antiga cerâmica na periferia de Recife fica o acervo de Francisco Brennand, que se mantém na ativa aos 85 anos. Percorrendo as linhas do artigo encontramos que “O artista faz questão de registrar que ali confeccionou, entre 1961 e 1962, o painel a ‘Batalha dos Guararapes’, um dos seus mais famosos trabalhos, representando símbolos da sua crença nos ícones da nacionalidade brasileira.” E, mais abaixo encontro a seguinte mensagem: “São quase 70 anos de produção intensa, de diferentes técnicas, gêneros e estilos”.

Na ficha bibliográfica que acompanha o artigo está escrito: “ Em 11 de junho, Francisco Brennand completará 85 anos e continua em plena atividade. Inquieto, dedica-se à pintura, acompanha diretamente o dia a dia da Oficina, participa de eventos e trabalha na revisão do seu diário. *

E aí Pastor? Será que uma pessoa com 85 anos ainda pode querer viver ou deve fazer companhia aos seus parceiros de 95 em busca de uma boa morte?


*Paraíso da Arte, in Revista do Brasil, site da web www.redebrasilatual.com.br , maio de 2012.


terça-feira, 29 de maio de 2012

MEDO DO ESCURO

Hoje quero lhe falar de algo inusitado ou muito falado, não sei. Depende de como você encarar.
A verdade é que nós somos responsáveis pelos nossos atos, nós somos donos da nossa vida e nós decidimos como e onde vamos viver.
Você já teve medo do escuro? Eu já tive. E o medo iniciou quando eu ainda era criança que via um cobertor do meu pai, no Maranhão. Imagina cobertor no Maranhão, mas às vezes acontece. Sim, eu o via, devido à sua padronagem, como se estivesse coberto por aranhas enormes...e tive não medo, pavor, paúra.
E hoje, às vezes, nós, já bastante adultos, ou pouco adultos, temos medo de coisas mais simples. Tive um aluno na universidade que não tinha coragem de falar em público. Como eu trabalhava com painéis e discussões em grupo, o aluno estava se saindo mal e eu não entendia, até o dia em que uma psicóloga me contou que conhecia a mãe dele e que ela havia marcado uma consulta para o filho dela se livrar desse medo de falar em público. Imagina, um jovem inteligente e que tinha esse bloqueio. Muitas pessoas têm medo de errar e passam a vida sem se arriscar, sem se aventurar pelo desconhecido, simplesmente porque não querem errar.
Então resolvi colocar no meu blog um assunto sério sobre esse assunto. Não vou discorrer sobre as razões do medo, esse assunto é para psicólogos. Só vou dizer que você pode vencer o seu medo, confiando em Deus. O Antigo Testamento está repleto de exemplos dessa categoria. Poderíamos, nesse momento, para não ficarmos trabalhando em tese, citar o que encontramos no livro de Juízes.

Os midianitas dominavam os filhos de Israel por sete anos, prevalecendo sobre estes. Os filhos de Israel, em razão disso, construiram, para se esconder e sobreviver, covas nos montes, cavernas e fortalezas. Ou seja, eles estavam cuidando de se defender, pois estavam com muito medo. Estavam no papel de vítima e não no de protagonista da história. Toda vez que havia colheita em Israel, os midianitas, juntamente com outros inimigos, vinham contra o povo de Deus e destruiam todo o produto da terra, além de alimarias, como jumentos, ovelhas ou bois.
Nessa situação de opressão o povo de Israel se lembrou do seu Deus e clamou a ele. A resposta de Deus foi dada no momento em que Deus enviou um anjo a um jovem que estava simplesmente cuidando de esconder o trigo, seu principal alimento, para o salvar dos midianitas. Ou seja, numa atitude de medo, de covardia, de falta de coragem para enfrentar o inimigo. E como foi a saudação do anjo a esse rapaz que estava se escondendo? O anjo do Senhor o saudou com as seguintes palavras: "O Senhor é contigo, homem valente".
Ao que Gedeão deve ter, após olhar em volta, perguntado: "Você está falando comigo?"
Vejamos como Deus nos vê, como Deus sabe o que temos no nosso interior. O homem cuidando em esconder a comida, numa atitude de covardia e o anjo o chama de "homem valente".
Gedeão, o jovem de quem estamos falando, lembra o fato de estarem oprimidos pelo inimigo, ou seja, se queixa, ao que o anjo simplesmente responde:
"Vai nessa tua força e livra a Israel da mão dos midianitas. Não enviei eu?"
Mais uma vez o jovem se desmerece, dizendo que é pobre e que é o menor da casa do seu pai, ao que o anjo responde, e dessa vez não aceita contestação:
"Eu hei de ser contigo, e tu ferirás aos midianitas, como a um só homem." Agora, leia você o texto abaixo e reflita.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

CONTRATAÇÃO DE MÃES SOCIAIS

A Casa de Ismael – Lar da Criança está iniciando o processo seletivo para contratação de Mães Sociais. As interessadas devem ter no mínimo 25 anos, Ensino Médio completo, ter disponibilidade para se dedicar em tempo integral às crianças, além de ter características de liderança e ser uma pessoa afetiva. Solicita-se o envio de currículo até o dia 25/05 para servicosocial@casadeismael.org AJUDEM A DIVULGAR!

quarta-feira, 16 de maio de 2012

APRENDA COM QUEM SABE

PARA MEDITAR

Deus é onipotente. No capítulo 3, versículos 20 e 21, da Carta de São Paulo aos Efésios, o apóstolo exorta os fiéis residentes naquela cidade a louvar a esse Deus Todo Poderoso, com as seguintes palavras: “Ora, àquele que é poderoso para fazer tudo muito mais abundantemente além daquilo que pedimos ou pensamos, segundo o poder que em nós opera, a ele seja a gloria, na igreja e em Cristo Jesus, por todas as geracoes, para todo o sempre. Amem!
"

DIREITOS HUMANOS

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos

LEI Nº 12.641, DE 15 DE MAIO DE 2012.

Institui o dia 12 de agosto como o Dia Nacional dos Direitos Humanos.

A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1o Fica instituída a data anual de 12 de agosto como o Dia Nacional dos Direitos Humanos.
Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 15 de maio de 2012; 191o da Independência e 124o da República.

DILMA ROUSSEFF
José Eduardo Cardozo

Maria do Rosário Nunes

Este texto não substitui o publicado no DOU de 16.5.2012


Recado à Presidenta.

Excelência, o importante não é dedicarmos um dia aos Direitos Humanos, nem enchermos a nossa Constituição com a descrição deles. O importante é criar condições para que eles tenham realmente validade.
Desejo-lhe sucesso.
Talvez você ainda seja humana e ainda sinta no sangue o arder da necessidade de justiça. Como dizia Che Guevara: "Se você tem a capacidade de se indignar perante a injustiça, você é meu irmão".

quinta-feira, 10 de maio de 2012

A SAMAMBAIA E O BAMBU

Certo dia decidi dar-me por vencido. Renunciei ao meu trabalho, as minhas relações, e a minha fé. Resolvi desistir até da minha vida. Dirigi-me ao bosque para ter uma última conversa com Deus. “Deus! Disse eu: Poderias dar-me uma boa razão para eu não entregar os pontos?” Sua resposta me surpreendeu: “Olha em redor Estás vendo a samambaia e o bambu?” “Sim, estou vendo”, respondi. Pois bem. Quando eu semeei as samambaias e o bambu, cuidei deles muito bem. Não lhes deixei faltar luz e água. A samambaia cresceu rapidamente. Seu verde brilhante cobria o solo. Porém, da semente do bambu nada saía. Apesar disso, eu não desisti do bambu. No segundo ano, a samambaia cresceu ainda mais brilhante e viçosa. E, novamente, da semente do bambu, nada apareceu. Mas, eu não desisti do bambu. No terceiro ano, no quarto, a mesma coisa… Mas, eu não desisti. Mas… no quinto ano, un pequeno broto saiu da terra. Aparentemente, em comparação com a samambaia, era muito pequeno , até insignificante. Seis meses depois, o bambu cresceu mais de 5 metros de altura. Ele ficara cinco anos afundando raízes. Aquelas raízes o tornaram forte e lhe deram o necessário para sobreviver. “A nenhuma de minhas criaturas eu faria um desafio que elas não pudessem superar” E olhando bem no meu íntimo, disse: Sabes que durante todo esse tempo em que vens lutando, na verdade estavas criando raízes? Eu jamais desistiria do bambu. Nunca desistiria de ti. Não te compares com outros”. “O bambu foi criado com uma finalidade diferente da samambaia, mas ambos eram necessários para fazer do bosque um lugar bonito”. “Teu tempo vai chegar” disse-me Deus. “Crescerás muito!” Quanto tenho de crescer? perguntei. “Tão alto como o bambu?” foi a resposta. E eu deduzi: Tão alto quanto puder! Espero que estas palavras possam ajudar-te a entender que Deus nunca desistirá de ti. Nunca te arrependas de um dia de tua vida. Os bons dias te dão felicidade. Os maus te dão experiência. Ambos são essenciais para a vida. A felicidade te faz doce. Os problemas te mantêm forte. As penas te mantêm humano. As quedas te mantêm humilde. O bom êxito te mantém brilhante. Mas, só Deus te mantém caminhando... (autor desconhecido)

ASSÉDIO MORAL HORIZONTAL

Quem diria que existe? Mas existe e já está sendo visto por quem de direito, a própria justiça trabalhista. JT constata caso de assédio moral horizontal Conhecido também como terrorismo psicológico ou psicoterror, o assédio moral é uma forma de violência psíquica, praticada por meio de atos, gestos, palavras, de forma repetida e prolongada, normalmente no local de trabalho, com o fim de constranger, discriminar e ferir a dignidade da vítima. Nos processos julgados pela Justiça do Trabalho mineira, é mais comum o assédio vertical, que tem como sujeito ativo ou assediador o empregador e, como sujeito passivo ou assediado, o empregado. Mas o terrorismo nas relações de trabalho pode ocorrer também de outras maneiras, como, por exemplo, entre colegas de serviço. É o chamado assédio horizontal. Para a desembargadora do TRT da 3ª Região, no julgamento do ED 0001142-61.2010.5.03.0137, não há dúvida, o empregado, no seu ambiente de trabalho, foi vítima de tratamento desrespeitoso por parte dos colegas, de forma reiterada. E todos tinham conhecimento do fato. No caso, trata-se de assédio moral horizontal, que é cometido por colegas de serviço de forma repetitiva, sendo que a violação sistematizada atingiu, sem sombras de dúvidas, diretamente os direitos de personalidade, de dignidade e de honra do empregado assediado, obstruindo a paz do ambiente de trabalho, ressaltou. Cabia à empregadora impedir esse comportamento de seus empregados, mas nada fez para evitar a ofensa ao trabalhador. Fonte:Newsletter Jurídica SÍNTESE nº 2935

sexta-feira, 4 de maio de 2012

DIREITO DA MULHER

Fonte: Newsletter Jurídica SÍNTESE nº 2931 Projeto de lei reafirma a igualdade entre homens e mulheres O Projeto de Lei da Câmara (PLC) nº 130/2011 corrige a desigualdade de remuneração entre os sexos. O projeto é de autoria do deputado Marçal Filho (PMDB-MS) e já foi aprovado pela Câmara dos Deputados. Empresas que diferenciarem o salário entre homens e mulheres que desempenham a mesma função poderão ser multadas. O projeto reitera e torna ainda mais eficiente o princípio da igualdade previsto na Constituição Federal, além de tornar mais eficiente o que é previsto na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), que coíbe a diferenciação de salários entre homens e mulheres que executam a mesma tarefa.

sexta-feira, 20 de abril de 2012

BRASÍLIA VISTA DA JANELA DO MEU ESCRITÓRIO

Depende de nós, se este mundo ainda tem jeito, apesar do que o homem tem feito.
Brasília, hoje à tarde. 20 de abril de 2012.

terça-feira, 17 de abril de 2012

MEN

"Man has lost the capacity to foressee and to forestall He will end by destroying the earth". (The environmental movement, in 1962.)

segunda-feira, 16 de abril de 2012

SEGURANÇA ATUAL






Esse é o título de uma revista digital, realizada por colegas que fizeram o curso Segurança da Informação e Comunicações, patrocinado pela Presidência da República em convênio com a Universidade de Brasília. Não deixe de conferir. O endereço do site é http://jornalsic.wordpress.com/

PAULO FREIRE - RECONHECIMENTO - QUAE SERA TAMEN

Presidência da República
Casa Civil
Subchefia para Assuntos Jurídicos


LEI Nº 12.612, DE 13 DE ABRIL DE 2012.

Declara o educador Paulo Freire Patrono da Educação Brasileira.


A PRESIDENTA DA REPÚBLICA Faço saber que o Congresso Nacional decreta e eu sanciono a seguinte Lei:

Art. 1o O educador Paulo Freire é declarado Patrono da Educação Brasileira.

Art. 2o Esta Lei entra em vigor na data de sua publicação.

Brasília, 13 de abril de 2012; 191o da Independência e 124o da República.

DILMA ROUSSEFF
Aloizio Mercadante

quarta-feira, 4 de abril de 2012

PARA QUE SERVE A HISTÓRIA?

Narra a Bíblia que Abrão residia, com sua família, em uma cidade chamada Ur, na Caldéia.
Estando Abrão em sua cidade,ouviu a voz de Deus que lhe dizia para sair do meio da sua parentela e se dirigir a um lugar desconhecido, que o Senhor lhe indicaria. E, que, o mesmo Deus faria de Abrão uma grande nação.
Abrão abandonou Ur e seguiu com sua esposa Sara e seu sobrinho Lot para o desconhecido, sem ter noção de para onde estava se dirigindo, seguindo somente a ordem de Deus.
Depois de um tempo de caminhada chegaram a um lugar que se bifurcava onde Abrão solicitou a Lot que escolhesse para onde queria seguir, ficando ele com a segunda opção, com os seguintes dizeres: "Se escolheres a esquerda eu irei para a direita e se escolheres a direita eu irei para a esquerda".
Assim começa a história do povo hebreu que foi posteriormente escravo no Egito por quatrocentos anos.
A promessa feita por Deus a Abrão, porém, não se apagou da mente dos hebreus, que sempre souberem que o Senhor reservara para eles uma pátria.
Com o nascimento de um menino hebreu na época que o faraó do Egito havia decretado a morte de todo e qualquer menino hebreu de dois anos para baixo, começa a mudança da sorte dos hebreus.
Uma hebréia deu a luz a um menino e não tendo coragem de declarar o seu nascimento, em virtudo do decreto de morte do faraó, escondeu-o por quatro meses e não o podendo manter mais escondido, fez um cesto de junto e colocando o menino dentro dele soltou-o no Nilo, enquanto a filha de faraó e suas servas tomavam banho nas margens do rio.

terça-feira, 3 de abril de 2012

Ato de militares em defesa do golpe de 1964

FRASE QUE FOI PRONUNCIADA
Ana Maria de Holanda Cavalcanti, 62: "Vi o chamado no Facebook. A ditadura não pode ser comemorada. É como se os alemães comemorassem o nazismo".
(Jornal Folha de São Paulo - 30/03/2012)

quarta-feira, 21 de março de 2012

Senado aprova benefício servidores públicos aposentados por invalidez

Agência Brasil
Publicação: 20/03/2012 20:15 Atualização:
O Senado aprovou nesta terça-feira (20/3) a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 5/12 que trata do direito de servidores públicos de se aposentarem por invalidez com benefício equivalente ao salário integral. Quebrando todos os interstícios previstos para votação de emendas constitucionais, os senadores aprovaram a PEC em primeiro e segundo turnos sem alterações de mérito. Com isso, ela seguirá para promulgação sem precisar retornar para a Câmara dos Deputados.

Além de receber o equivalente ao salário integral, os servidores que se aposentarem por invalidez passarão a ter a aposentadoria vinculada aos proventos dos colegas da ativa. A regra vale para servidores públicos federais, estaduais e municipais que tiverem se aposentado por invalidez a partir de 1º de janeiro de 2004. A União, os estados e os municípios terão 180 dias para rever os benefícios de quem estiver nessas condições e dos pensionistas relacionados à esse tipo de aposentadoria.

A PEC, de autoria da deputada Andreia Zito (PSDB-RJ) e relatada no Senado pelo líder do PSDB, senador Álvaro Dias (PR), visa a mudar a forma de cálculo dos benefícios de aposentadoria por invalidez instituídos na reforma da previdência. Atualmente, a aposentadoria de quem se torna inválido para o trabalho no serviço público é calculada com base no tempo de contribuição. O relator concorda com a autora da PEC que nos casos de invalidez a aposentadoria deve ser integral.

“Na situação vigente, está sendo totalmente ignorada a situação de um servidor público que detinha a expectativa de se aposentar sob determinadas condições e, repentinamente, por razões totalmente alheias à sua vontade, perde a sua condição laboral, mesmo em razão de uma doença profissional ou de um acidente de trabalho. Isso agride o princípio isonômico e é flagrantemente irrazoável, uma vez que significa que o indivíduo acometido por situação de invalidez seja tratado com mais rigor do que o servidor saudável”, alega Dias em seu parecer favorável à PEC.

A PEC foi aprovada por unanimidade nos dois turnos. Emendas constitucionais precisam passar por cinco turnos de discussão antes da primeira votação e depois mais três turnos de debates antes da segunda votação. Mas um acordo entre todos os senadores permitiu a quebra dos interstícios e que todas sessões acontecessem seguidamente para que a matéria tivesse a votação concluída no mesmo dia

segunda-feira, 12 de março de 2012

BRASIL FAZ ACORDO PARA EXPORTAR JUMENTOS

Deu no Blog do Noblat, que o Brasil fez um acordo com a China para exportar jumentos para servirem na industria de alimentação e cosméticos.
Então é isso mesmo, ou eu não li direito? Nós nos revoltamos quando sabemos que os chineses comem cavalos e cachorros e não nos importamos se eles mudarão o seu cardápio e irão degustar os nossos jumentos?
Onde estamos nós defensores dos animais? Onde estamos nós defensores do meio ambiente e da ecologia? Onde estão os nossos políticos, senadores e deputados? Concordamos com isso? Eu não concordo e inicio aqui um protesto. Não vamos expatriar os nossos animais que nos servem há muito tempo para que virem iguarias na mesa de ninguém.
SOMOS CONTRA E MANIFESTAMOS AQUI A NOSSA OPINIÃO.
SUBSERVIÊNCIA NÃO. Nós não somos a quinta economia do mundo? E não temos direito nem de resguardar a vida dos nossos animais? Ou é tudo balela e não passamos mesmo de uma republica das bananas?

sexta-feira, 9 de março de 2012

PARA NÃO DIZER QUE NÃO FALEI DOS GATOS

Pastor, na sua última preleção, no domingo, dia 4 de março, ouvi estarrecida o senhor fazer uma declaração, sem nenhum embasamento científico, sobre o comportamento dos felinos. O senhor declarou que não apreciava os gatos, em virtude de os mesmos serem falsos.
Devo dizer que não concordo com tal afirmativa e a acho extremamente preconceituosa, portanto não digna de ser pronunciada por um ministro do evangelho que está se dirigindo a milhares de pessoas, de formações diferentes e de histórias de vida as mais diversas.
O senhor sabe, como eu também sei, que a nossa missão aqui na Terra é cumprir o mandamento do "ide", de Nosso Senhor Jesus Cristo, quando disse aos seus discípulos: "Permanecei em Jerusalém, até que do alto sejais revestidos de poder. E ser-me-eis testemunhas, tanto em Jerusalém, como em toda a Judéia e Samaria e até aos confins da Terra". Esse é o trabalho que nos foi entregue e é a ele que nos devemos ater. Querer enveredar por outras searas, só se for para distribuir amor e compreensão entre as pessoas. E esse amor, eu entendo que deve estender-se às demais criações do nosso bom Deus e Pai.
Todos nós sabemos e acreditamos que foi o Senhor Nosso Deus que criou os céus e a Terra e tudo o que nela existe.
Se estamos de acordo com o que eu disse até aqui, chegaremos facilmente a conclusão de que foi Deus que criou os felinos, com toda a sua beleza. E, deu-lhes características próprias, diferentes das dos outros animais, porque o nosso Deus não se repete e é extremamente criativo.
Os felinos, pela sua graça, pela sua beleza, pelo seu porte altivo e enigmático, foram duramente perseguidos em toda a história da humanidade, e ao mesmo tempo adorados por uns pouco, como ocorreu no Egito.
São animais limpos, e nos transmitem uma sensação gostosa de aconchego e carinho. E nós, humanos, deveriamos amá-los, senão por suas caraterísticas, pelo menos por reconhecermos nele a mão do Criador, o mesmo que nos fez, homens e mulheres.

quinta-feira, 8 de março de 2012

Flores especialmente para as mulheres!

Flores especialmente para as mulheres!: Elas são mães, profissionais, amigas, donas de casa, esposas, namoradas, guerreiras, falantes, choronas. E um pouco mais! Nosso post de hoje é dedicado às mulheres! Desejamos às nossas leitoras que o Dia Internacional da Mulher seja repleto de cores bem…/p