quarta-feira, 24 de julho de 2013

DA JUVENTUDE E DOS VALORES

A sociedade atual vive, conforme vários escritores, pensadores, articulistas, críticos socias e demais profissionais que têm se manifestado na mídia, antes de qualquer crise institucional, uma crise de valores éticos, sociais, morais, culturais e demais.

E isso, já se vem dizendo há bastante tempo. Lembro-me de um artigo, quando ainda tinhamos como presidente o atual senador Sarney, ou seja, há décadas. E, a partir daí, essa crise só aumenta.

Como fazer para delimitar espaços, para definir prioridades, para orientar políticas públicas, se não existem norteadores, balizadores, faróis para isto.

Porque quando falamos em valores, falamos em limites, falamos em restrições, falamos de prioridades, falamos de seriedade.

Como conduzir uma sociedade se não sabemos para onde ela vai?

O livro de Deuteronômio, um dos 5 livros do pentateuco, cuja escrita foi atribuída a Moisés, que conduzia o povo hebreu através do deserto com o intuito de alcançar a terra prometida por Deus, no seu capítulo 6 e versículos 6 a 9, assim se expressa:"Estas palavras que hoje te ordeno, estarão no teu coração; tu as inculcarás a teus filhos e delas falarás assentado em tua casa, e andando pelo caminho, e ao deitar-te e ao levantar-te. Também as atarás como sinal na tua mão e te serão por frontal entre os teus olhos. E as escreverás nos umbrais de tua casa, e nas tuas portas."

A que se referem estas palavras do livro citado, que não a valores? E responsabiliza os pais pela transmissão dos valores do povo de Deus aos seus filhos.

A Bíblia fala posteriormente que aos ministros, aos pastores, será cobrada a falta de ensinamento aos seus fiéis. Se isso é cobrado de uma pessoa que institucionalmente tem o dever de conduzir um povo, quanto mais aos pais que são responsáveis por toda a educação que é transmitida aos seus filhos?

Fica o alerta aos pais e mães da necessidade da transmissão dos valores éticos, morais, religiosos e sociais aos seus rebentos.


Nenhum comentário: