segunda-feira, 7 de outubro de 2013

PORQUE O PT TEM MEDO DE MARINA SILVA

O PT tem medo de Marina Silva. Isso é verdade e todos podem constatar. Como em um lance de xadrez ousado, Marina sai com uma peça que não era esperada e coloca-se em posição de ataque ao adversário. A surpresa, o desconhecido, a coragem demonstrada na jogada, faz tremer as estruturas estabelecidas do seu oponente. Marina o expõe, chama o rei adversário para um local desconhecido, faz com que ele saia da proteção que lhe foi fornecida por seus pares, exige que pense de uma maneira diferente. E Marina, por um momento, se torna a dona do tabuleiro. Ela dá as cartas, ela define como o jogo tem que ser jogado.

Marina não traiu o seu grupo, não desistiu de seus ideais, seus objetivos continuam firmes. Ela apenas criou uma situação nova e, em vez de fugir das circunstâncias, se volta para elas e as encara.

Essa é a Marina, da localidade de Breu Velho, acostumada às dificuldades que a vida nos oferece, que conhece a natureza, que com ela convive harmoniosamente, que ama os animais e que sabe viver na selva. E, parodiando Betânia ela poderia cantar: “Foram me chamar, eu estou aqui o que há. Eu vim de lá, eu vim de lá pequenininha. Alguém me avisou para eu pisar nesse chão devagarinho”.

Sim, ela conhece também os meandros do poder, as armadilhas que são colocadas para aqueles que entram nessa luta. Ela sabe que existem “minas” escondidas em lugares não imaginados. E que algumas já explodiram. Mas ela continua. Não digo que ela também não tenha medo, mas o sentimento do dever a faz continuar. Ela conhece a natureza humana, sabe das fraquezas que nos levam a abdicar de nossos ideais mais nobres, dos nossos sonhos de liberdade, a trair o povo que confiou em nós. Sabe que até um operário pode se corromper, quando se vê frente a situações que o ameaçam. Sabe que uma guerrilheira também chora, quando se lembra das promessas feitas e não cumpridas. E, por conhecer essas facetas do ser humano, Marina não consegue odiar seus opositores, apenas procura se precaver para não cair nas mesmas ciladas, armadas pelos antigos “donos do poder”, que no Brasil excedem, em muito, um partido.

Agora, depende de nós, os apoiadores da Rede Sustentabilidade, que acompanhamos Marina até aqui, que continuamos acreditando nela, continuarmos a dar suporte ao sonho que sonhamos juntos. Depende de nós aproveitarmos o momento, já que ganhamos um tempo extra, pois não precisaremos mais correr para montar o partido antes das próximas eleições. Esse é o momento de revermos nossos planos e o momento de procurarmos realmente estruturar uma rede que aproxime as pessoas de bem, que querem realmente mudar esse país, o nosso Brasil. Uma rede que traga para dentro dela a discussão do povo, de todas as regiões do país. Nós podemos fazer isso, porque nós fazemos parte desse povo. Nós conhecemos as nossas origens, nós conhecemos nossas dificuldades, nossas fraquezas e nossos anseios.


Ana Rosa Carvalho de Abreu

Ativista na Rede Sustentabilidade

Nenhum comentário: