sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

OS ARGANAZES E A SABEDORIA DE SALOMÃO

Lendo os livros atribuidos ao Rei Salomão e procurando descobrir coisas pequenas me deparo com um animal do qual nunca ouvira falar que são os arganases, louvados pelo escritor de provérbios, pelo fato de viverem harmoniosamente em suas tocas. _Só por isso, perguntei eu e comecei a procurar mais sobre esse roedor e me deparo com o seguinte. Comentário da Wikipedia: "Os arganazes são citados no livro de provérbios Capítulo 30:26, onde o escritor os considera como uma das quatro coisas muito pequenas na terra que são mais sábias do que os sábios, pois eles constroem as suas casas nas rochas". Não me satisfaço e continuo pesquisando. Daí encontro o seguinte.


No site Desafiando a nomenklatura científica de Enézio E. de Almeida Filho, consta a seguinte curiosidade sobre estes simples roedores.
Os arganazes são pequenos roedores (+ ou – 10 cm) de cauda curta e peluda. São um flagelo para a agricultura, tanto pela sua voracidade como por sua espantosa fecundidade. E o que é que os arganazes têm a ver com o atual paradigma da genética evolutiva? O que eles estão aprontando a ponto de deixar os cientistas arrancando os cabelos?

Recente comunicado à imprensa da Purdue University afirma, "Pesquisa da Purdue University demonstrou que o arganaz, um roedor tipo rato, não é somente o mamífero que evolui mais rapidamente, mas abriga também um número de características genéticas intrigantes que desafiam o conhecimento científico atual" e o arganaz é "um enigma evolutivo" com "muitas características bizarras" [ênfase inexistente]:

- O número de cromossomos varia de 17 a 64 entre as espécies.

- Os cromossomos X em algumas espécies são 20% do genoma.

- Algumas fêmeas têm partes significantes do cromossomo masculino Y.

- Em algumas espécies, os machos e as fêmeas têm números diferentes de cromossomos.

- Apesar de genótipos amplamente variantes, todos os arganazes parecem todos basicamente o mesmo (fenótipo). Algumas espécies parecem tão idênticas que é necessário uma análise de DNA para saber a diferença.

Por que isso é um enigma evolutivo? "A pesquisa focaliza 60 espécies dentro do gênero Microtus de arganazes, que evoluiu nos últimos 500,000 a 2 milhões de anos. Isso significa que os arganazes estão evoluindo 60-100 vezes mais rápido do que a média dos vertebrados em termos de criar espécies diferentes".

Será mesmo? Por que os dados conflitam o atual paradigma genético? Será que isso não está demonstrando que os geneticistas sabem muito menos do que eles imaginam que sabem? Como podemos ter genomas tão diferentes em animais tão parecidos? O que essas diferenças genéticas implicam em termos de fitness de indivíduos e populações? Por que os arganazes evoluem mais rapidamente do que um elefante, um macaco, uma baleia, ou mesmo o homem? Natura non facit saltum, não é mesmo Darwin?

A teoria geral da evolução já foi muito mais fácil de se entender e acreditar antes quando não tínhamos fatos complicadores como esses. É por essas e outras que o meu ceticismo localizado das especulações transformistas de Darwin aumenta cada vez mais.

Parafraseando o mantra [ou tacape] de Dobzhansky – nada em evolução faz sentido a não ser à luz de mirabolantes especulações...

Nenhum comentário: